Bahia

Reitor da Uneb comemora programa de inclusão e bom resultado no Enade

Reitor da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), José Bites falou em entrevista à Metrópole nesta quinta-feira (30) sobre as ações do Programa Mais Futuro, que busca promover a permanência e melhoria do desempenho dos estudantes das universidades estaduais [Leia mais...]

[Reitor da Uneb comemora programa de inclusão e bom resultado no Enade]
Foto : Reprodução/Google Maps

Por Bárbara Silveira e Matheus Morais no dia 30 de Março de 2017 ⋅ 08:58

Reitor da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), José Bites falou em entrevista à Metrópole nesta quinta-feira (30) sobre as ações do Programa Mais Futuro, que busca promover a permanência e melhoria do desempenho dos estudantes das universidades estaduais.

"Esse programa é fruto dos movimentos estudantis das universidades estaduais com o governo do estado, também apoiado pelos reitores, para que se implementasse uma assistência permanente aos nossos estudantes, que são vulneráveis economicamente. É um programa muito importante, é uma política de estado, é uma inclusão, considerando, como todos sabem, que as universidades estaduais especialmente a Uneb, teve uma forte politica de inclusão social com o sistema de cotas", disse. 

"A Uneb é a segunda universidade do Brasil, é a segunda universidade do Brasil com o sistema de cotas, a primeira em termos de cotas sociais. Portanto, o governo entendeu e implementou o programa. Esse programa pode garantir a permanência e o fluxo mais regular dos nossos estudantes", completou. 

Perfis

A iniciativa, que integra o Programa Educar Para Transformar, pretende beneficiar nove mil estudantes universitários em condições de vulnerabilidade socioeconômica. Eles terão acesso a auxílio financeiro para dar continuidade aos estudos e evitar o abandono do curso superior por falta de condições de concluir a graduação. 

O auxílio, segundo o governo do estado, terá valor de R$ 300 ou R$ 600 mensais e o estudante vai poder receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar dois terços do curso. O primeiro valor é destinado a universitários que estudam a até 100 quilômetros da sua cidade de origem. Já o segundo é para os estudantes que moram em cidades a mais de 100 quilômetros de distância do campus onde estão matriculados. O estudante poderá receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar 2/3 (dois terços) do curso, estando dentro do perfil do programa. 

 “Esse programa teve exclusivamente as 4 universidades estaduais: UESC, UNEB, UEFS, UESB, temos até 9 mil bolsas para oferecer, é uma programa para os estudantes matriculados”, ressaltou o reitor.

Segundo Bites, a universidade tem apresentado melhora nos índices de desempenho, como apontou o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). “O curso de psicologia em Salvador foi classificado como o primeiro da Bahia com nota 5, tivemos avanços substanciais em outros cursos, isso demonstra como a educação superior nas faculdades estaduais tem avançado. O papel dessas universidades são importantes, principalmente no interior. Temos uma ação grande no interior com cursos bem qualificados”, afirmou. 

 

Notícias relacionadas