Bahia

MP-BA instaura inquérito para investigar empresa responsável por lanchas de Mar Grande

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurou um inquérito civil para apurar a tragédia que deixou 19 mortos na travessia Mar Grande-Salvador, na Baía de Todos-os-Santos, na última quinta-feira (24). O ato foi publicado no Diário da Justiça desta terça-feira (29). O MP vai apurar se a CL Empreendimentos, empresa responsável pelas lanchas, executa o transporte sem respeitar a legislação vigente, sem controle de quantidade de passageiros e com superlotação.[Leia mais...]

[MP-BA instaura inquérito para investigar empresa responsável por lanchas de Mar Grande]
Foto : Alberto Maraux/SSP

Por Matheus Simoni no dia 29 de Agosto de 2017 ⋅ 09:05

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) instaurou um inquérito civil para apurar a tragédia que deixou 19 mortos na travessia Mar Grande-Salvador, na Baía de Todos-os-Santos, na última quinta-feira (24). O ato foi publicado no Diário da Justiça desta terça-feira (29). O MP vai apurar se a CL Empreendimentos, empresa responsável pelas lanchas, executa o transporte sem respeitar a legislação vigente, sem controle de quantidade de passageiros e com superlotação.

Em entrevista apresentador José Eduardo na manhã desta terça, durante o Jornal da Bahia No Ar da Rádio Metrópole, o advogado da empresa, Manoel Pinto, declarou que não tem conhecimento da investigação do MP e negou que a lancha opere com superlotação. "A empresa nunca desrespeitou qualquer regra, nunca transportou pessoas acima da capacidade. As embarcações têm completa estrutura de navegação, esse controle de acesso a navegação é feito de modo individual. No dia do evento, a embarcação envolvendo acidente, tem capacidade para 160 e, no dia, tinha 120", afirmou o advogado.

O MP-BA também quer investigar a responsabilidade da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba) no acidente. Segundo a promotora Joseane Suzart, o Ministério Público está atento às reclamações da população sobre a prestação de serviços. "A missão do Ministério Público de zelar pela regularidade dos produtos e serviços colocados no mercado de consumo, razão pela qual incluirá também, nesta averiguação, a Empresa Vera Cruz, uma vez que, de acordo com as queixas da população, executa o mencionado serviço nos mesmos moldes acima descritos”, afirmou a promotora.

Em nota enviada ao Metro1, a Agerba ressaltou que vai aguardar a conclusão das investigações por parte da Capitania dos Portos para tomar as medidas cabíveis.

Notícias relacionadas

[Inema aponta 15 praias impróprias para o banho; confira]
Bahia

Inema aponta 15 praias impróprias para o banho; confira

Por Kamille Martinho no dia 08 de Dezembro de 2019 ⋅ 13:00 em Bahia

O instituto ainda recomenda aos usuários das praias que ao observarem presença de óleo evitem fazer a utilização das mesmas e não toquem, nem removam os resíduos encontra...