Bahia

'Ainda há gasto desproporcional', diz procuradora-geral sobre festas juninas

Ediene Lousado fez um pedido de reforço da análise de gastos municipais com festas juninas na Bahia

['Ainda há gasto desproporcional', diz procuradora-geral sobre festas juninas]
Foto : Ascom/ MP-BA

Por Juliana Almirante no dia 25 de Abril de 2019 ⋅ 10:02

A procuradora-geral de Justiça da Bahia, Ediene Lousado, explicou, em entrevista à Rádio Metrópole, nesta quinta-feira (25), o pedido de reforço a análise de gastos municipais com festas juninas na Bahia.

"Infelizmente ainda há gasto desproporcional com festejos juninos. A população precisa de investimentos em educação, infrasestrutura e saneamento básico, sáude, outras áreas essenciais para a cidadania", defende. 

Para ela, alguns prefeitos do estado ainda fazem investimento nos festejos, "esquecendo que a população realmente precisa de investimentos para ter sua dignidade atendida". "Daí nossa recomendação para promotores, para fazerem cumprir a lei", justifica.

Edilene Lousado afima que os promotores do Ministério Público podem fiscalizar, solicitar informações, abrir inquéritos civis e usar todos os procedimentos legais para que lei seja cumprida e a população tenha os direitos atendidos. Se forem encontradas irregularidades, os gestores podem responder criminalmente.

"Desde que temos encaminhado a recomendação, os prefeitos têm ficado mais conscientes e recursos tem sido aplicados de forma mais racional. Esperamos não ter problema este ano", avalia.

"Tem cidades muito pequenas em que investimentos são muito superiores do que cidades de maior porte. A população que precisa de investimento em áreas sociais fica desassistida", completa. 

Notícias relacionadas

[Uefs: conversa com secretário vai definir reitor]
Bahia

Uefs: conversa com secretário vai definir reitor

Por Matheus Simoni e Alexandre Galvão no dia 20 de Maio de 2019 ⋅ 15:00 em Bahia

Também será definido o próximo desembargador, através de um nome que integra a lista tríplice do quinto constitucional para a vaga no Tribunal de Justiça da Bahia