Bahia

Bolsonaro nomeia Jacques Antonio de Miranda como reitor da Ufob

Ele foi primeiro colocado da lista tríplice elaborada pelo Conselho Universitário no dia 18 de junho

[Bolsonaro nomeia Jacques Antonio de Miranda como reitor da Ufob]
Foto : Cirlla Machado

Por Juliana Almirante no dia 18 de Setembro de 2019 ⋅ 13:20

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o professor Jacques Antônio de Miranda como reitor da Universidade Federal do Oeste da Bahia. Ele foi primeiro colocado da lista tríplice elaborada pelo Conselho Universitário no dia 18 de junho, ao receber 27 votos. 

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (18). 

De acordo com a Ufob, Jacques é atualmente vice-reitor "Pro Tempore".  Ele é lotado no Centro das Ciências Exatas e das Tecnologias (CCET), no campus de Barreiras. 

O novo reitor é bacharel, mestre e doutor em Química e integra o quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Química Pura e Aplicada (Posquipa) e do Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit).

Entre os anos de 2011 e 2013, ele foi diretor do antigo Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável, unidade avançada da Ufba que deu origem à Ufob.

As datas da cerimônia de posse do novo reitor, em Brasília (DF) serão divulgadas nos próximos dias.

Polêmica

A última nomeação de reitor feita pelo presidente Jair Bolsonaro para uma universidade federal baiana foi polêmica. Ele escolheu o terceiro colocado da eleição do conselho da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) para o posto, o que gerou protesto da  Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes).

Segundo a Lei, o presidente pode nomear qualquer um dos três nomes apresentados, sem apresentar justificativa para o nome escolhido. No entanto, a escolha pelo primeiro colocado era uma tradição.

Notícias relacionadas

[Embasa nega favorecimento de empresas em contratos ]
Bahia

Embasa nega favorecimento de empresas em contratos 

Por Metro1 no dia 18 de Outubro de 2019 ⋅ 07:58 em Bahia

“As dispensas de licitações são previstas legalmente para garantir a continuidade da prestação de serviços essenciais para população", diz a empresa