Domingo, 25 de julho de 2021

Bahia

Feira de Santana: Vereador afirma que é perseguido por ‘incomodar o ativismo gay’

Para Edvaldo Lima, o povo brasileiro é cristão e a minoria quer calar os pastores

Feira de Santana: Vereador afirma que é perseguido por ‘incomodar o ativismo gay’

Foto: Câmara Municipal de Feira de Santana

Por: Metro1 no dia 25 de novembro de 2019 às 18:06

Vereador de Feira de Santana, Edvaldo Lima (PP) afirmou durante sessão ordinária, nesta segunda-feira (25), que é perseguido por combater o “ativismo gay”. O pepista foi intimado a apresentar uma defesa pela Organização dos Estados Americanos (OEA) que solicitou explicações sobre o seu mandato, através da Procuradoria-Geral da União.

“Defendo os direitos e valores da família. Esse grupo LGBT, que me processou, está tentando parar o vereador Edvaldo Lima. Foram seis processos em dois meses. Não estou preocupado com estes processos, me preocuparia se fosse processado por corrupção. Mas, infelizmente está acontecendo em nosso país o que não deveria: criança incentivada a tocar num homem nu em exposição. Fiz uma moção de repúdio contra isso, que foi aprovada nesta Casa e isso está incomodando o ativismo gay. Não vou abrir mão de defender os cristãos”, disse.

O parlamentar ainda ressaltou: “Eles não respeitam as famílias brasileiras. O povo brasileiro é cristão, somos maioria e a minoria quer calar as bocas dos pastores, dos que servem a Deus. Colocaram uma cruz, um símbolo da Igreja Católica, no ânus de uma pessoa. Isso é um desrespeito. Eles vão receber um processo agora por isso, precisam respeitar a fé e a religião das pessoas”.

Na ocasião, o vereador voltou a atacar o público LGBT. “Todos aqui nasceram de homem com mulher. Não é diferente e não vai ser nunca, pois Deus não permite que homens gerem filhos. Parece que as famílias brasileiras estão dormindo e não percebem que estas pessoas querem acabar com elas. Mas, não vão conseguir”.

Por fim, o parlamentar ressaltou que possui prerrogativas. Edvaldo já fez várias declarações consideradas homofóbicas. Em março, ele acusou a cantora Daniela Mercury de invocar demônios e fazer apologia a homossexualidade. O vereador tentou impedir a cantora de participar da Micareta de Feira de Santana.

Feira de Santana: Vereador afirma que é perseguido por ‘incomodar o ativismo gay’ - Metro 1