Bahia

Manchas de óleo: estudo aponta que amostras de frutos do mar seguem contaminadas

Foram analisadas 34 amostras de ostras, peixes e crustáceos nas cidades de Jandaíra, Conde, Entre Rios, Camaçari, Salvador, Itaparica, Vera Cruz, Jaguaripe, Valença e Taperoá

[Manchas de óleo: estudo aponta que amostras de frutos do mar seguem contaminadas]
Foto : Reprodução

Por Kamille Martinho no dia 01 de Abril de 2020 ⋅ 15:20

Um estudo desenvolvido pelo Centro de Excelência em Geoquímica do Petróleo (Lepetro), da Universidade Federal da Bahia (Ufba), aponta que algumas amostras de frutos do mar, como ostras, siris e caranguejos, de cidades baianas, seguem contaminas pelas manchas de óleo que atingiram o litoral do Nordeste em 2019. 

Foram analisadas 34 amostras de ostras, peixes e crustáceos, coletadas entre os dias entre 27 de janeiro e 13 de fevereiro, nas cidades de Jandaíra, Conde, Entre Rios, Camaçari, Salvador, Itaparica, Vera Cruz, Jaguaripe, Valença e Taperoá.

“Considerando todas as espécies, 80% das análises estão abaixo dos níveis de preocupação estabelecidos pela Anvisa. Mas há sete amostras de ostras, siris e caranguejos, coletadas em Entre Rios (Rio Sauípe), Camaçari (Rio Jacuípe), Valença (Guaibim) e Jaguaripe com níveis de contaminação acima do ideal”, explicou o gerente de projetos da Bahia Pesca, José Sanches Júnior.

De acordo com o estudo, peixes e camarões não estão contaminados com HPA em níveis acima dos adotados pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, portanto, são considerados seguros para consumo.

Notícias relacionadas