Bahia

Governo não tem como fiscalizar desembarques irregulares no Sudoeste, diz Rui

Em entrevista à TV Sudoeste, governador afirmou que a Polícia Rodoviária Federal não permite as ações, seguindo orientação do governo federal

[Governo não tem como fiscalizar desembarques irregulares no Sudoeste, diz Rui]
Foto : Paula Fróes/GOVBA

Por Juliana Rodrigues no dia 13 de Maio de 2020 ⋅ 12:34

Mesmo com o decreto que restringe o transporte intermunicipal em 139 municípios da Bahia para conter a disseminação do novo coronavírus, passageiros vindos de outros estados estão desembarcando em cidades do sudoeste baiano, como Vitória da Conquista. Os ônibus deixam os usuários ao lado do terminal rodoviário. Questionado sobre o assunto durante entrevista à TV Sudoeste, hoje (13), o governador Rui Costa afirmou que as forças estaduais não têm como fiscalizar a irregularidade em rodovias federais, já que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não permite as ações. Mesmo assim, o governo toma medidas a respeito.

"Nós temos intensificado a fiscalização. Evidente que em rodovia federal nós tentamos fiscalizar, mas a PRF, seguindo orientações do governo federal, não permitiu, o que eu considero uma temeridade, ou seja, eles não fazem e não permitem que o estado faça. Em qualquer lugar do mundo, para segurar o contágio, foi suspensa a comunicação entre cidades. E aqui, infelizmente, o governo federal tem mostrado desprezo pela vida humana", afirmou.

Rui ainda se disse contrário à flexibilização das medidas de isolamento social em Jequié, cidade do sudoeste baiano que tem 103 casos e duas mortes por coronavírus, segundo boletim divulgado ontem (12) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Um decreto publicado na segunda (11) estabelece a abertura de algumas atividades comerciais no município.

"Desde o início adotamos um comportamento na Bahia de não tomar a mesma medida para todos os lugares, porque a Bahia é muito grande, do tamanho da França. No caso de jequié, acho extremamente arriscada essa decisão de abrir o comércio. Se continuar nesse ritmo, vou fazer um apelo ao prefeito para que feche, muito fortemente, adotando o mesmo padrão de Ipiaú e Itabuna. Jequié, ao meu ver, não está em condições de abrir o comércio, porque pode aumentar o número de pessoas infectadas e mortes", avaliou o governador.

Notícias relacionadas