Bahia

'Jair Tércio é o centro de uma rede que ele criou para cometer abusos', diz pedagoga que denunciou guru

O líder religioso não foi encontrado durante a Operação Fariseu, deflagrada ontem (17), e é considerado foragido pela Justiça

['Jair Tércio é o centro de uma rede que ele criou para cometer abusos', diz pedagoga que denunciou guru]
Foto : Reprodução/Youtube

Por Kamille Martinho no dia 18 de Setembro de 2020 ⋅ 09:50

A pedagoga Tatiana Amorim Badaró, que denunciou abusos sexuais e patrimoniais sofridos por ela, durante 12 anos, pelo líder religioso de Salvador Jair Tércio, comentou hoje (18), em entrevista na Rádio Metrópole, sobre a Operação Fariseu e a necessidade de se investigar com mais afinco as redes montadas pelo "guru espiritual" para cometer os crimes. A operação foi deflagrada ontem (17) pelo Ministério Público (MP), para cumprir mandado de prisão preventiva contra Jair.

"Existem relatos que chegam pra mim de 4 décadas atrás. Ninguém comete tantos abusos durante tanto tempo sem apoio. É isso que espero dessa nova fase da operação, que comecem a investigar as outras instituições que foram fundadas por ele e que, ate então, ele proclamava como obras suas", afirmou a pedagoga. 

Após a operação ser deflagrada, instituições tentam se desvincular de Jair Tércio, segundo Tatiana. Entretanto, ela conta que muitas vítimas que vivenciavam toda a doutrina nem chegaram a conhecer o líder religioso. "Através de quem ele fazia isso? Através dessas instituições. Lideranças das entidades faziam a mediação, então como essas instituições podem ser desvinculadas? ", desabafa.

Tatiana ainda confirmou que Jair Tércio mentia sobre sua formação e que isso também era praticado em uma das suas instituições. "Eu presenciei, diversas vezes, certificados serem emitidos para pessoas que não fizeram curso de especialização. Eu mesma recebi um sem ter cursado. O que o próprio Jair Tercio fez, de se proclamar engenheiro sem ter feito a graduação de engenharia, ele reproduzia com seus seguidores, dando um titulo que as pessoas não conquistaram".

Segundo a pedagoga, 303 relatos já foram feitos à ela e 21 denuncias foram oficializadas no MP. "Com a operação, algumas pessoas estão começando a ter mais confiança. Estou bem confiante de que esse numero vai crescer oficialmente", completou.

O líder religioso não foi encontrado durante a Operação Fariseu e é considerado foragido pela Justiça.

Notícias relacionadas