Bahia

Corte Interamericana condena Brasil por morte de 64 pessoas em explosão de fábrica clandestina na Bahia

O episódio aconteceu em 11 de dezembro de 1998

[Corte Interamericana condena Brasil por morte de 64 pessoas em explosão de fábrica clandestina na Bahia]
Foto : Reprodução/TV Bahia

Por Kamille Martinho no dia 27 de Outubro de 2020 ⋅ 10:00

A Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) condenou o Brasil pelas mortes e violações de direitos humanos, em decorrência da morte de 64 pessoas em uma explosão de fábrica clandestina em Santo Antônio de Jesus, na Bahia. O episódio aconteceu em 11 de dezembro de 1998.

"As vítimas se encontravam em situação de pobreza estrutural e eram, em amplíssima maioria, mulheres e meninas afrodescendentes, quatro delas estavam grávidas e não dispunham de nenhuma alternativa econômica senão aceitar um trabalho perigoso em condições de exploração”, disse parte do documento enviado ao G1 pela ONG Justiça Global, que confirmou a condenação na noite de ontem (26).

Segundo o documento, a Corte considerou que o estado brasileiro tinha conhecimento de que eram realizadas atividades perigosas na fábrica e não inspecionava nem fiscalizava o local adequadamente. 

Ainda de acordo com a ONG, dos 64 trabalhadores mortos na explosão, 63 eram mulheres e quatro delas estavam grávidas. A única vítima do sexo masculino era uma criança de 11 anos de idade. Dentre as vítimas havia 22 crianças e adolescentes.

Notícias relacionadas