Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Investimentos do MEC durante governo Bolsonaro chegam ao menor patamar desde 2015

Gastos são direcionados à expansão da oferta de políticas públicas, como compra de equipamentos, insumos para laboratórios e obras em universidades

[Investimentos do MEC durante governo Bolsonaro chegam ao menor patamar desde 2015]
Foto : Dário Guimarães/Metropress

Por Metro1 no dia 14 de Fevereiro de 2021 ⋅ 15:00

Os investimentos do Ministério da Educação nos dois primeiros anos do governo Jair Bolsonaro (sem partido) foram os menores desde 2015, segundo reportagem da Folha. A situação impacta diretamente nas instituições de ensino superior e técnicas federais.

Esses gastos são direcionados à expansão da oferta de políticas públicas, como compra de equipamentos, insumos para laboratórios e obras, e não incluem os pagamentos de salários e custeio do MEC, que também passam por reduções.

No primeiro ano da gestão de Bolsonaro, em 2019, o ministério executou apenas R$ 39 milhões das rubricas inscritas como investimentos, em valores atualizados pela inflação. O montante equivale a 6% do previsto no Orçamento. Em 2020, houve uma reação, e os gastos com investimentos chegaram a R$ 60 milhões. Ainda assim, o valor é o menor desde 2015, auge da crise econômica no governo de Dilma Rousseff (PT).

Mais de um terço dos recursos gastos no ano passado, porém, está ligado a ações emergenciais de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus nas instituições federais de ensino, sem impacto nas demandas estruturais permanentes. Procurado pela reportagem da Folha, o MEC não se manifestou.

Notícias relacionadas