Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Governador do Acre compara crise vivida pelo estado com uma 'terceira guerra mundial'

O estado enfrenta ao mesmo tempo a pandemia do coronavírus, um surto de dengue, destruições causadas por grandes enchentes e uma crise migratória na fronteira com o Peru

[Governador do Acre compara crise vivida pelo estado com uma 'terceira guerra mundial']
Foto : Gleilson Miranda/ Secom

Por Adele Robichez no dia 21 de Fevereiro de 2021 ⋅ 19:30

O governador do Acre, Gladson Cameli (PP) comparou a situação atual do estado com uma “terceira guerra mundial”. A região enfrenta ao mesmo tempo a pandemia do coronavírus, um surto de dengue, destruições causadas por grandes enchentes e uma crise migratória na fronteira com o Peru.

O gestor se disse preocupado com tudo o que está acontecendo e classifica a situação como “delicadíssima”. “A questão das cheias, uma das piores nos últimos anos, dengue, Covid-19, e imigrantes na fronteira. Temos ainda o Peru e a Bolívia, a questão dos haitianos. E isso me causa uma preocupação. É uma situação delicadíssima porque eu preciso proteger a população”, disse. “E, com tudo o que está acontecendo, eu vou te dizer que vivemos uma Terceira Guerra Mundial”, concluiu.

O Acre chegou hoje (21) ao sexto dia do decreto de situação de emergência. O estado está em nível vermelho, classificação de emergência, para a pandemia da Covid-19 desde o dia 1º de fevereiro. Cameli teme um possível colapso no sistema de saúde.

Por conta dessas situações, o presidente da República Jair Bolsonaro anunciou hoje (21) que irá visitar as regiões atingidas pelas enchentes no Acre nesta quarta-feira (24).

Notícias relacionadas