Brasil

TIM, Oi, Claro e Vivo são multadas em R$ 22,6 mi por bloqueio de internet móvel

A Fundação Procon de São Paulo multou as operadoras TIM, Oi, Claro e Vivo em R$ 22,6 milhões por bloqueio da internet móvel em planos vendidos como ilimitados. Segundo o Procon, as empresas podem recorrer da decisão no prazo de até 15 dias. [Leia mais...]

[TIM, Oi, Claro e Vivo são multadas em R$ 22,6 mi por bloqueio de internet móvel]
Foto : Marcos Santos/USP Imagens

Por Juliana Almirante no dia 23 de Junho de 2015 ⋅ 07:14

A Fundação Procon de São Paulo multou as operadoras TIM, Oi, Claro e Vivo em R$ 22,6 milhões por bloqueio da internet móvel em planos vendidos como ilimitados. Segundo o Procon, as empresas podem recorrer da decisão no prazo de até 15 dias.

A multa à Oi foi estabelecida em R$ 8 milhões. Já a Tim foi multada em R$ 6,6 milhões; a Claro em R$ 4,5 milhões e a Vivo em R$ 3,5 milhões. Os valores foram calculados com base em fatores como grau de deficiência de contrato e do porte econômico de cada companhia.

Em maio, a Fundação Procon já tinha conseguido na Justiça uma liminar que impedia o corte de internet móvel após o término da franquia nos contratos de planos ilimitados, sob pena de multa diária de R$ 25 mil, por descumprimento da decisão.

Em nota, a TIM informou que ainda não foi notificada da decisão. A Claro disse que foi notificada e que está avaliando os termos da autuação. A OI informou que não comenta as ações que estão em andamento e a Vivo disse que não se manifestaria pelo fato de a matéria "estar sub judice".

Notícias relacionadas

[Michelle Bolsonaro pede outro lugar para trabalhar]
Brasil

Michelle Bolsonaro pede outro lugar para trabalhar

Por Luciana Freire no dia 18 de Fevereiro de 2020 ⋅ 17:20 em Brasil

Após repercussão com desmonte de biblioteca, um novo local está sendo providenciado para abrigar a primeira-dama e sua equipe

[Fila do Bolsa Família já tem 3,5 milhões de pessoas]
Brasil

Fila do Bolsa Família já tem 3,5 milhões de pessoas

Por Kamille Martinho no dia 18 de Fevereiro de 2020 ⋅ 16:40 em Brasil

No final de janeiro, o Ministério da Cidadania informou que a lista de pedidos para entrar no programa seria três vezes menor: 494 mil famílias