Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Terça-feira, 14 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

Brasil manifesta preocupação com preparo de ofensiva israelense no extremo sul da Faixa de Gaza

Política

Brasil manifesta preocupação com preparo de ofensiva israelense no extremo sul da Faixa de Gaza

Israel determinou a retirada total de pessoas de Rafah, último refúgio de moradores da Faixa de Gaza. O Ministério das Relações Exteriores (MRE) divulgou nota nesta terça-feira (13) na qual reforçou críticas ao deslocamento forçado de palestinos em razão do conflito entre Israel e Hamas

Brasil manifesta preocupação com preparo de ofensiva israelense no extremo sul da Faixa de Gaza

Foto: Reprodução/Al Jazeera

Por: Metro1 no dia 13 de fevereiro de 2024 às 20:00

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) declarou nesta terça-feira (13), por meio de comunicado, que o governo brasileiro recebe "com grande preocupação" o anúncio da preparação de uma ofensiva militar pelas tropas israelenses em Rafah, no extremo sul da Faixa de Gaza.O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ordenou na sexta-feira (9) que seja elaborado um plano de retirada da população civil de Rafah, que fica na fronteira entre Gaza e o Egito.

Netanyahu quer ocupar temporariamente Rafah. Segundo o premiê israelense, a cidade é o último bastião do Hamas e, portanto, etapa decisiva da guerra contra o grupo armado. "Tal operação, se levada a cabo, terá como graves consequências, além de novas vítimas civis, um novo movimento de deslocamento forçado de centenas de milhares de palestinos, como vem ocorrendo desde o início do conflito", divulgou em nota o MRE. 

Rafah é considerada o refúgio de cerca de 1,5 milhão de pessoas - quase toda a população da Faixa de Gaza.

De acordo com o Ministério, estima-se que 80% dos habitantes de Gaza tenham sido obrigados a deixar suas casas, e a maioria deles na direção de Rafah, indicada inicialmente como área segura pelas autoridades israelenses. A nota ainda reforçou o pedido de encerramento do conflito e de libertação dos reféns em poder do Hamas.

O governo também reafirma o "compromisso com uma solução de dois Estados, com um Estado da Palestina viável, convivendo lado a lado com Israel, em paz e segurança, dentro de fronteiras mutuamente acordadas e internacionalmente reconhecidas, que incluem a Cisjordânia, Gaza e Jerusalém Oriental como sua capital".

A guerra entre Israel e Hamas será um dos temas abordados por Lula nesta semana durante viagem ao Egito e à Etiópia.