Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 18 de abril de 2024

Brasil

Militares responsabilizam Bolsonaro pela tentativa de golpe de estado em investigação

Alvos da Operação Tempus Veritati tentam minimizar e blindar a participação de colegas militares no roteiro do golpe de estado

Militares responsabilizam Bolsonaro pela tentativa de golpe de estado em investigação

Foto: Divulgação/Valter Campanato/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 20 de fevereiro de 2024 às 18:03

Atualizado: no dia 20 de fevereiro de 2024 às 18:48

Ao decorrer do avanço das investigações da Polícia Federal sobre a Operação Tempus Veritati, militares estão tentando blindar e minimizar a participação de colegas na confecção do roteiro do golpe de estado, responsabilizando a articulação por Jair Bolsonaro. Segundo alguns oficiais, haveria tido um “excessivo poder” de influência atribuído a militares de baixa patente e sem contingente para mobilizar uma ação dessa magnitude.

Segundo o Exército, o Coter fica em Brasília (DF) e não tem nenhuma tropa subordinada a ele e fica vinculado ao Comando Militar do Planalto, logo não poderia tomar qualquer atitude sem a anuência do comandante do exército. 

De acordo com a coluna da jornalista Andréia Sadi, do G1, os oficiais destacaram se tratar de um grupo de planejamento, sem capacidade de atuação, embora o general integrasse o Alto Comando da Força.

Além disso, há uma avaliação de que o papel atribuído às Forças Especiais é exagerado, que apesar do nome, é na verdade destinado a militares em início de carreira e sem papel de comando.

Em relação a figuras consideradas centrais no roteiro golpista, como o ex-ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) Augusto Heleno e o ex-ministro da Defesa Walter Braga Netto, a avaliação é que eles já estão na reserva e não teriam força para mobilizar as tropas.