Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Brasil

/

El Niño tende a terminar entre abril e junho, diz boletim da Agência Nacional de Águas

Brasil

El Niño tende a terminar entre abril e junho, diz boletim da Agência Nacional de Águas

A maioria dos modelos climáticos sugerem o enfraquecimento do El Niño a sua transição para condições neutras – sem este fenômeno e sem o La Niña

El Niño tende a terminar entre abril e junho, diz boletim da Agência Nacional de Águas

Foto: Zig Koch / Banco de Imagens ANA

Por: Metro1 no dia 17 de abril de 2024 às 18:48

A Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) publicou em seu site a 7ª edição do boletim Painel El Niño 2023-2024. Segundo o informe, a maioria dos modelos climáticos sugerem o enfraquecimento do El Niño a sua transição para condições neutras – sem este fenômeno e sem o La Niña.

Conforme as projeções do Instituto para Clima e Sociedade (IRI na sigla em inglês), a neutralidade deve ser atingida ainda no 2º trimestre (abril a junho), com probabilidade de 62% para formação do fenômeno La Niña no 3º trimestre deste ano.  

O El Niño é um fenômeno climático caracterizado pelo aquecimento da superfície do Oceano Pacífico e alteração nos padrões de circulação atmosférica em todo o planeta, o que também produz efeitos no clima em todas as regiões do País. O La Niña consiste no resfriamento anormal das águas do Oceano Pacífico e é responsável tanto por chuvas fortes no Norte e Nordeste do Brasil quanto por secas no Sul.  

O boletim é produzido pela ANA em parceria com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD). Segundo a publicação, a previsão climática para o Brasil entre abril e junho indica probabilidade de chuva abaixo do normal entre o centro, norte e leste do País. 

 A ANA elaborou em 2023 um Plano de Contingência levando em conta os impactos do El Niño sobre os recursos hídricos e usos múltiplos das águas. As medidas que já foram implementadas são a instalação das Salas de Crise das Regiões Norte e Nordeste.