Brasil

Gabinete de Fachin diz que vídeos de Funaro ʹnão deveriamʹ ser divulgados

O gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) se pronunciou por meio de nota e disse neste domingo (15) que ele não retirou o sigilo da delação de Lúcio Funaro e que, no entendimento do magistrado, os vídeos dos depoimentos do operador financeiro à Procuradoria Geral da República "não deveriam ter sido divulgados". [Leia mais...]

[Gabinete de Fachin diz que vídeos de Funaro ʹnão deveriamʹ ser divulgados]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 16 de Outubro de 2017 ⋅ 12:05

O gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) se pronunciou por meio de nota e disse neste domingo (15) que ele não retirou o sigilo da delação de Lúcio Funaro e que, no entendimento do magistrado, os vídeos dos depoimentos do operador financeiro à Procuradoria Geral da República "não deveriam ter sido divulgados".

No dia 22 de setembro, o material foi enviado pelo STF, em ofício endereçado ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Os vídeos ficaram disponíveis no site da Câmara no dia 29, mas só começaram a ser divulgados na última sexta-feira (13).

Já a defesa do presidente Michel Temer, citado nas delações de Funaro, classificou a divulgação dos vídeos de "criminoso vazamento", no sábado (14). O advogado de Temer, Eduardo Carnelós, disse ainda que a liberação dos vídeos constituía "mais um abjeto golpe ao estado democrático de direito". Em nova nota divulgada neste domingo, Carnelós afirmou desconhecer que os vídeos estivessem disponíveis no site da Câmara desde setembro e disse que "jamais" quis imputar crime a Rodrigo Maia.

Notícias relacionadas