Sexta-feira, 30 de julho de 2021

Brasil

Ministério encontra mão de obra escrava em fazendas de seita religiosa

O Ministério do trabalho (MTE) informou hoje que três proprietário de fazendas em Minas Gerais, Bahia e São Paulo foram autuados por uso de mão de obra escrava durante a operação “Canaã – A Colheita Final”. [Leia mais...]

Ministério encontra mão de obra escrava em fazendas de seita religiosa

Foto: Divulgação/Ascom/Ministério do Trabalho

Por: Marina Hortélio no dia 15 de março de 2018 às 18:21

O Ministério do trabalho informou hoje que três proprietário de fazendas em Minas Gerais, Bahia e São Paulo foram autuados por uso de mão de obra escrava durante a operação “Canaã – A Colheita Final”. Nos imóveis, a fiscalização da pasta encontrou 565 trabalhadores em condições análogas à escravidão, 438 sem registro em carteira e ainda 32 menores em atividade proibida.

Segundo o ministério, as pessoas atuavam para a seita religiosa "Comunidade Evangélica Jesus, a Verdade que Marca". Após ser aliciado pelo grupo, os trabalhadores eram convencidos a doar bens para as associações controladas pela organização e a se mudar para as comunidade nas quais laboravam.

A seita possuia fazendas nas zonas rurais e urbanas em Minas Gerais, nas cidades de Contagem, Caxambu, Betim, Andrelândia, Minduri, Madre de Deus, São Vicente de Minas, Pouso Alegre e Poços de Caldas; na Bahia, em Ibotirama, Luís Eduardo Magalhães, Wanderley e Barra; além da capital paulista.

Além de atuar nas lavouras, algumas pessoas também trabalhavam em estabelecimentos comerciais dos líderes da seita.

Ministério encontra mão de obra escrava em fazendas de seita religiosa - Metro 1