Brasil

Comissão conclui que não houve abuso em caso de advogada negra algemada

A investigação inocentou, ainda, a juíza que solicitou a retirada de Valéria Lucia da sala de audiência

[Comissão conclui que não houve abuso em caso de advogada negra algemada]
Foto : Reprodução / Folha

Por Lara Ferreira no dia 25 de Setembro de 2018 ⋅ 16:40

A comissão judiciária que investigou o caso da advogada Valéria Lucia dos Santos, algemada por PMs durante audiência judicial em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, concluiu que ela "se jogou no chão" e começou a se debater, sendo algemada momentaneamente para a sua própria segurança.

O colegiado também inocentou da prática de qualquer abuso a juíza leiga Ethel Tavares de Vasconcelos, que teria acionado a polícia para que retirasse Valéria Lucia da sala.

De acordo com a Folha, o desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, do Tribunal de Justiça do Rio, afirmou que não vislumbrava prática de qualquer desvio funcional dos servidores envolvidos.

A comissão ouviu a advogada, a juíza, os policiais, funcionários e estagiários do 3º Juizado Especial Cível de Duque de Caxias, além de defensores que presenciaram a cena.

Notícias relacionadas