Brasil

Bolsonaro lamenta morte de Moa do Katendê e afirma que 'foi um excesso'

"O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso", disse o candidato

[Bolsonaro lamenta morte de Moa do Katendê e afirma que 'foi um excesso']
Foto : Divulgação

Por Lis Grassi no dia 10 de Outubro de 2018 ⋅ 08:03

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que o acusado de esfaquear e matar o mestre capoeirista baiano Moa do Katendê, de 63 anos, cometeu um excesso, mas deixou claro que “não tem nada a ver com o caso, pois não tem controle sobre seus apoiadores”.

“O cara lá que tem uma camisa minha, comete lá um excesso. O que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso. Eu não tenho controle sobre milhões e milhões de pessoas que me apoiam”, disse o candidato.

O suspeito de assassinar Moa do Katendê, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, foi preso na última segunda-feira(08) por decisão do juiz Horácio Pinheiro e aguarda julgamento. Paulo confessou o crime, mas negou que o motivo da agressão tenha sido político. Ele disse que foi ofendido.

Notícias relacionadas