Brasil

Economistas propõem a Bolsonaro fim da estabilidade e maior flexibilidade no serviço público

Medidas ajudariam a reequilibrar as contas públicas, de acordo com profissionais

[Economistas propõem a Bolsonaro fim da estabilidade e maior flexibilidade no serviço público]
Foto : Wilson Dias/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 13 de Novembro de 2018 ⋅ 12:40

Um grupo de mais de 200 economistas brasileiros propõe ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) o fim parcial da estabilidade no serviço público e a criação de mecanismos de exoneração em caso de piora no desempenho. O objetivo seria ajudar a reequilibrar as contas públicas.

De acordo com a agência Reuters, em um documento com quase cem páginas, publicado ontem (12), os profissionais também citaram outras medidas de endurecimento, a exemplo da desvinculação de qualquer despesa ao salário mínimo e a eliminação dos pisos de gasto em todos os níveis.

Notícias relacionadas