Brasil

Neymar deve depor no final de semana com segurança especial

Este é o segundo depoimento do jogador sobre o caso

[Neymar deve depor no final de semana com segurança especial]
Foto : Thyago Andrade/AgBrazilNews

Por Catarina Lopes no dia 11 de Junho de 2019 ⋅ 21:00

Neymar deve ser ouvido neste fim de semana na 6ª Delegacia de Direitos da Mulher (DDM). Ele agora dará sua versão do que ocorreu em encontro com Najila Trindade em Paris, seu segundo depoimento sobre o caso, sendo o primeiro na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática devido ao vazamento de imagens íntimas da modelo no Instagram de Neymar.

As autoridades e a equipe do jogador estão estudando o método mais seguro para que ele compareça ao local antes de divulgar a data oficial do depoimento. Assim como quando Najila compareceu à delegacia, o Grupo de Operações Especiais da polícia estará no local para garantir a segurança de Neymar.

No último depoimento do jogador, o carro onde ele estava foi cercado por jornalistas e crianças. Para realizar um melhor planejamento, um segurança de Neymar foi à delegacia que ele irá depor, assim como sua advogada, Maíra Fernandes.

Notícias relacionadas

[Inscrições para o Prouni se encerram hoje]
Brasil

Inscrições para o Prouni se encerram hoje

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Junho de 2019 ⋅ 14:20 em Brasil

Programa oferece cerca de 169 mil vagas, sendo 68 mil de bolsas de estudo integrais e 101,1 mil para bolsas parciais

[Morre, aos 76 anos, jornalista Clóvis Rossi ]
Brasil

Morre, aos 76 anos, jornalista Clóvis Rossi 

Por Alexandre Galvão no dia 14 de Junho de 2019 ⋅ 07:48 em Brasil

Nascido em 25 de janeiro de 1943 no bairro do Bexiga, em São Paulo, filho de seu Olavo, vendedor de máquinas pesadas, e dona Olga, artesã de grinaldas e buquês de flores,...

[Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário]
Brasil

Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário

Por Kamille Martinho no dia 13 de Junho de 2019 ⋅ 16:20 em Brasil

O pedido é o cumprimento de uma determinação judicial, após o presidente afirmar que a deputada "não merecia ser estuprada"