Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Ex-CQC relata agressão de deputado que quebrou placa de Marielle

Agressão foi filmada e divulgada na noite de ontem pelo próprio jornalista nas redes sociais

[Ex-CQC relata agressão de deputado que quebrou placa de Marielle]
Foto : Reprodução/Instagram

Por Kamille Martinho no dia 17 de Outubro de 2019 ⋅ 18:00

O ex-integrante do programa "CQC", da Band, Guga Noblat acusou o deputado federal Daniel Silveira de quebrar o seu celular com um tapa após desentendimento nos corredores da Câmara, em Brasília. 

A agressão foi filmada e divulgada na noite de ontem pelo próprio jornalista nas redes sociais. Nas imagens, Silveira aparece irritado e dando um tapa no celular de Noblat, enquanto ele filmava o episódio. "Você é um babaca, rapaz. Você é um babaca", diz o deputado

Posteriormente, Noblat explicou que o desentendimento aconteceu depois de perguntar ao deputado "qual é o momento de maior vergonha da política nacional nos últimos anos? Opção A, um político que quebra uma placa em homenagem a uma mulher assassinada? Opção B, um político que invade uma escola para tentar lacrar, dar like, intimidando alunos secundaristas? Ou opção C, todas as anteriores".

"Sobre o segundo ponto...é uma ação constitucional fiscalizar qualquer órgão executivo. Não preciso invadir, porque espaço público é para o público e também para uma autoridade federal. Segundo, não quebrei a placa, a placa estava colada sobre a praça Floriano Peixoto falsa colocada por militantes. O recado é claro. Não tomarão território de forma ostensiva e vandalismo. E o terceiro, as duas acima. Vergonha não existe, tenho orgulho", respondeu o deputado.

"O senhor quebrou meu celular ao se descontrolar com uma pergunta. Tudo foi devidamente registrado", diz Noblat em outro vídeo postado. "É arremessei, e aí? Babaca. Vai lá no STF e me processa, otário", respondeu o parlamentar.

O ex-integrante do CQC afirma na sequência que processará o deputado e estabelece condições para que a ação não seja movida.

Notícias relacionadas