Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

PF e Receita deflagram operação contra fraudes tributárias

Ação cumpre 55 mandados em três estados e no DF

[PF e Receita deflagram operação contra fraudes tributárias]
Foto : Marcos Santos/USP Imagens

Por Metro1 no dia 05 de Novembro de 2019 ⋅ 13:00

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram hoje (5) a Operação Saldo Negativo, com o objetivo de combater fraudes tributárias. A ação cumpre 30 mandados de busca e apreensão e 25 mandados de prisões expedidos pela 1ª Vara Federal de Florianópolis, nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e no Distrito Federal.

Segundo a Receita, as investigações identificaram "empresas de consultoria tributária" que apresentavam declarações de créditos e débitos (DCTFs), de compensações (PER/Dcomp), de Simples Nacional (PGDAS) e também previdenciárias (GFIP) com créditos fictícios ou de terceiros (também chamados de falsos créditos).

A operação teve origem em uma Representação Fiscal para Fins Penais encaminhada pela Receita Federal ao Ministério Público Federal. O objetivo da organização criminosa era ficar com a maior parte do valor dos tributos devidos pelo empresariado, enquanto lesava a Administração Tributária Federal.

Para quitar um débito de R$ 100 mil, as empresas adquiriam suposto crédito de igual valor, pagando ao fraudador o valor de R$ 70 mil. Ao adquirirem os falsos créditos com deságio, os contribuintes imaginavam conseguir vantagem de R$ 30 mil. No entanto, além do valor pago aos fraudadores, os empresários continuavam com a dívida integral junto ao Fisco.

Os valores utilizados indevidamente passam de R$ 2,3 bilhões, sendo que, desse total, R$ 1 bilhão se refere a falsos créditos enviados para uso futuro. Aproximadamente 80% desses valores já foram objeto de auditoria por parte da Receita Federal. Mais de 3,5 mil empresas, distribuídas por quase 600 municípios de todo o país, estão envolvidas na fraude.

Notícias relacionadas