Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Caso Marielle: apuração demorou 11 meses para expor menção à casa de Bolsonaro

Ministério Público disse que só irá se manifestar no processo. Já a Polícia Civil não quis se manifestar

[Caso Marielle: apuração demorou 11 meses para expor menção à casa de Bolsonaro]
Foto : José Dias/PR

Por Kamille Martinho no dia 05 de Novembro de 2019 ⋅ 19:01

Documentos do inquérito sobre o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes mostram que a Polícia Civil do Rio de Janeiro possui os registros de entrada de visitantes do condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa há um ano, e não há um mês como informou o Ministério Público do Rio.

Segundo o órgão, o acesso aos documentos só foi possível no dia 5 de outubro, quando afirma ter apreendido o material na portaria do condomónio no curso da investigação sobre o mandante do assassinato da vereadora.

De acordo com a Folha, o Ministério Público disse que só irá se manifestar no processo. Já a Polícia Civil não quis se manifestar.

Notícias relacionadas