Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Inquérito da Polícia Civil aponta que PM causou morte da menina Ágatha Félix

Segundo as investigações, objetivo do agente era dar um “tiro de advertência” para forçar a parada de dois homens que fugiram de uma blitz

[Inquérito da Polícia Civil aponta que PM causou morte da menina Ágatha Félix]
Foto : Reprodução

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Novembro de 2019 ⋅ 08:43

O disparo que provocou a morte da estudante Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, no Complexo do Alemão, partiu da arma de um cabo da Polícia Militar. A informação está no inquérito da Polícia Civil do Rio de Janeiro sobre o caso, que deve ser enviado hoje (18) à Justiça. O caso aconteceu no dia 20 de setembro.

O documento aponta que houve um "erro de execução": o objetivo não era atingir a criança, mas dar um “tiro de advertência” para forçar a parada de dois homens que estavam em uma motocicleta e teriam fugido de uma blitz no complexo. O PM, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Fazendinha, efetuou o disparo.

Relatos de testemunhas incluídos no inquérito indicam que o cabo estava sob forte tensão devido à morte de um colega três dias antes, o que pode tê-lo levado a confundir uma esquadria de alumínio que o garupa segurava com uma arma.

O resultado completo da investigação será divulgado hoje pela Polícia Civil. Mais de 20 pessoas foram ouvidas no inquérito, incluindo os pais de Ágatha, o motorista da Kombi na qual ela estava com a mãe, no momento em que foi atingida, outras testemunhas e PMs. Não há informações sobre se o responsável pelo disparo será enquadrado em algum crime.

Notícias relacionadas