Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Investigado por pirâmide na BA e no RS leva vida de luxo em Dubai

Danilo Vunjão Santana teria lesado várias muitas vítimas no Brasil e no exterior, movimentando quase R$ 500 milhões ilegalmente

[Investigado por pirâmide na BA e no RS leva vida de luxo em Dubai]
Foto : Reprodução/TV Globo

Por Juliana Almirante no dia 25 de Novembro de 2019 ⋅ 08:02

Foragido da Justiça do Rio Grande do Sul e da Bahia sob suspeita de chefiar um esquema de pirâmide financeira, Danilo Vunjão Santana leva uma vida de luxo nos Emirados Árabes, de acordo com reportagem do programa Fantástico, da TV Globo. 

Danilo teria lesado várias muitas vítimas no Brasil e no exterior, movimentando quase R$ 500 milhões ilegalmente.

Na Bahia, o Ministério Público recebeu inquéritos policiais abertos contra Danilo no Rio, em Pernambuco e em Mato Grosso do Sul. O MP-BA denunciou também a esposa, que vive com ele em Dubai, o irmão e a cunhada dele.

"Danilo fez uma movimentação criminosa através de relacionamentos familiares. Valores volumosos, R$ 38 milhões, R$ 36 milhões, que transitaram em contas bancárias dessas pessoas no período em que o empreendimento buscava seus empreendedores por meio de recrutamento", disse o promotor de Justiça da Bahia Inocêncio de Carvalho Santana.

No Rio Grande do Sul, uma associação reúne cerca de 300 pessoas lesadas. Ele foi denunciado pelos crimes de estelionato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

O golpe seria aplicado por meio de um site, chamado D9, que funcionaria como um jogo de apostas em campeonatos de futebol.

Danilo negou, em entrevista à TV Globo, que tenha ido para Dubai com o objetivo de fugir da Justiça brasileira.  "Hoje eu tenho meu projeto musical, todos sabem onde moro, você está aqui em minha casa, meu endereço sempre foi informado, nunca fui um foragido da polícia", diz. O advogado dele tenta reverter os mandados de prisão nos dois estados. 

Com os mandados de prisão, ele foi incluído na lista de procurados da Interpol. Em março deste ano, Brasil e os Emirados Árabes acertaram um acordo geral de extradição contra ele, que está sendo analisado pelo Congresso. 

Notícias relacionadas