Brasil

Advogado vê 'coleção de estranhezas' em morte de Adriano e pede perícia

Caso seja deferido, caberia à família do ex-PM indicar os técnicos que iriam periciar o corpo

[Advogado vê 'coleção de estranhezas' em morte de Adriano e pede perícia]
Foto : Reprodução

Por Luciana Freire no dia 18 de Fevereiro de 2020 ⋅ 16:00

A família do ex-capitão da PM Adriano da Nóbrega, acusado de chefiar uma milícia no Rio de Janeiro e morto na segunda-feira (9) numa operação policial na Bahia, decidiu pedir à Justiça a realização de uma perícia independente no corpo do ex-policial.

Caso seja deferido, caberia à família do ex-PM indicar os técnicos que iriam periciar o corpo. A defesa de Adriano também pediu autorização para que peritos indicados por ela possam analisar a cena da morte do ex-capitão.

"Há uma série de dúvidas que merecem, no mínimo, profundo esclarecimento", afirma o advogado Paulo Emilio Catta Preta, que atuou na defesa de Adriano em processos no Rio e representa a família do ex-capitão. Catta Preta conversou sobre o caso com jornalistas na manhã de hoje, em seu escritório em Brasília.

De acordo com a polícia baiana, Adriano teria recebido os agentes a tiros e foi morto em confronto durante a operação que tentou prendê-lo em uma propriedade rural no município de Esplanada, no interior da Bahia.

"Acho que é uma coleção de estranhezas", diz o advogado. "Me parece que esses elementos trabalham de forma a encorpar nossas dúvidas".

Notícias relacionadas