Brasil

Inquérito das fake news: Aras diz ser a favor desde que fique 'em seus estreitos limites'

PGR afirma que foi "surpreendido" pela ação realizada ontem (27), pela PF, que fez buscas e apreensões contra empresários e blogueiros apoiadores de Bolsonaro

[Inquérito das fake news: Aras diz ser a favor desde que fique 'em seus estreitos limites']
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Por Kamille Martinho no dia 28 de Maio de 2020 ⋅ 14:40

O procurador-geral da República (PGR), Augusto Aras, afirmou por meio de nota nesta quinta-feira (28) que foi "surpreendido" pela ação realizada ontem (27) pela Polícia Federal que fez buscas e apreensões contra empresários e blogueiros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o G1, o PGR diz ser favorável ao inquérito que investiga a produção de informações falsas e ameaças ao Supremo Tribunal Federal (STF) desde que a investigação se mantenha "em seus estreitos limites".

"Contudo, o inquérito 4.781, denominado inquérito das fake news, tem exorbitado dos limites que apontamos em manifestação de mérito na ADPF 572, cujo objeto é a sua validade ou não", afirmou o procurador-geral.

Notícias relacionadas