Brasil

Caso Marielle: operação prende bombeiro no RJ e cumpre dez mandados

O bombeiro é acusado de ter cedido um carro para a quadrilha de Lessa esconder as armas por uma noite, logo após a prisão do sargento, antes de um de seus comparsas, Josinaldo Freitas, o Djaca, recolhê-las e jogá-las no mar

[Caso Marielle: operação prende bombeiro no RJ e cumpre dez mandados ]
Foto : Renan Olaz/CMRJ

Por Metro1 no dia 10 de Junho de 2020 ⋅ 07:15

Caso Marielle: polícia prende bombeiro que teria cedido carro para esconder armas

O cabo do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Maxwell Simões Corrêa, o Suel, de 44 anos, foi preso na manhã de hoje (10). De acordo com O Globo, a prisão foi deflagrada no âmbiro da operação Submersos II. Ele é apontado como cúmplice do sargento da reserva da Polícia Militar Ronnie Lessa, acusado de matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes

Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio (MPRJ) desde a prisão de Lessa e do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, em março do ano passado. De acordo com os investigadores, coube ao bombeiro ajudar, logo após a prisão do sargento, no descarte das armas escondidas por Lessa.

O bombeiro é acusado de ter cedido um carro para a quadrilha de Lessa esconder as armas por uma noite, logo após a prisão do sargento, antes de um de seus comparsas, Josinaldo Freitas, o Djaca, recolhê-las e jogá-las no mar para evitar a apreensão. Uma das armas, cogita a polícia, pode ter sido usada no ataque a Marielle. O veículo de Suel ficou estacionado no pátio do supermercado Freeway, na Barra da Tijuca. Suel tentou plantar falsas testemunhas para esconder a propriedade do carro, mas os investigadores conseguiram desmenti-las.

Além do mandado de prisão de Suel, a Polícia Civil e o MP cumprem dez mandados de busca e apreensão em diversos endereços do Rio. Entre eles, um para um policial militar da ativa. Ao todo, 150 agentes participam da ação.

Notícias relacionadas

[Ex-governador de Sergipe morre aos 79 anos]
Brasil

Ex-governador de Sergipe morre aos 79 anos

Por Adele Robichez no dia 25 de Novembro de 2020 ⋅ 11:30 em Brasil

João Alves Filho estava internado em estado grave no Hospital Sírio Libanês, em Brasília, após sofrer parada cardíaca