Brasil

Sétima vítima denuncia umbandista por estupro de fiéis em São Paulo

Além de denunciar o religioso por sete estupros de vulneráveis contra as vítimas, a Promotoria pediu a decretação da prisão preventiva

[Sétima vítima denuncia umbandista por estupro de fiéis em São Paulo]
Foto : Reprodução/Redes sociais

Por Cristiele França no dia 24 de Outubro de 2020 ⋅ 18:31

O líder espiritual Heraldo Lopes Guimarães, conhecido como Pai Guimarães de Ogum, foi denunciado na semana passada à Justiça pelo Ministério Público (MP) por mais um estupro contra fiéis em São Paulo. Com isso, sobe para sete o número de mulheres que o acusam de crimes sexuais.

Além de denunciar o religioso por sete estupros de vulneráveis contra as vítimas, a Promotoria pediu a decretação da prisão preventiva para que ele responda preso pelos crimes até um eventual julgamento. Até a última terça-feira (20) a Justiça não havia analisado as denúncias, que começaram a ser feitas no mês passado.Segundo o MP, as vítimas contaram que o pai de santo se valia da sua posição de sacerdote espiritual para cometer os abusos sexuais. O acusado nega os crimes e acusa as vítimas de armação.

Pai Guimarães de Ogum tem 56 anos e atua na Umbanda, religião brasileira de matriz africana. Além disso, comanda um templo na Zona Sul da capital, onde, segundo o MP, aconteceu a maioria dos abusos contra as vítimas, entre os anos de 2010 e 2019. Duas delas eram menores de 14 anos na época. As outras cinco já tinham 18 anos ou mais.

Em casos de condenações, as penas para estupro podem ser de 6 a 10 anos de prisão e até 15 anos de reclusão (se for estupro de vulnerável). Quando há mais vítimas, a Justiça também costuma somar as penas atribuídas a cada uma das condenações por esse crime.

 

Notícias relacionadas