Quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Cidade

Secretário da Segurança atribui chacina do Uruguai à política armamentista

Ricardo Mandarino citou governo federal como estimulador da facilitação da compra de armas

Secretário da Segurança atribui chacina do Uruguai à política armamentista

Foto: Reprodução

Por: Metro1 no dia 14 de outubro de 2021 às 11:13

Secretário da Segurança Pública da Bahia, Ricardo César Mandarino atribui à política armamentista, ou seja, à facilitação na compra de armas, a chacina ocorrida no bairro do Uruguai, em Salvador, na madrugada de quarta-feira (13). Ao fazer a relação, o secretário citou o governo Jair Bolsonaro como entusiasta do armamento.

“Ao contrário do que se pensava que era briga de traficantes, parece que foi briga de pessoas que estavam armadas. É o negócio das pessoas andarem armadas sem deverem, por conta da permissibilidade com armas estimulada pelo Governo Federal”, disse, na tarde de quarta-feira, durante o lançamento da Operação Verão.

A Polícia Civil já havia apontado que uma briga como ponto de partida para a situação que deixou seis pessoas mortas, incluindo um adolescente de 16 anos, e 12 pessoas feridas.

E completou: “O que a gente presencia e acompanha é com muita indignação. O governo federal, de forma irresponsável, tem facilitado acesso ao armamento, essas armas mais cedo ou mais tarde acabam na mão de criminosos, seja porque são vendidas posteriormente, seja porque são roubadas. Mesmo que quem comprou seja uma pessoa de bem, acaba na mão de bandidos, e hoje se percebe bandidos fortemente armados com fuzil e escopeta".

Secretário da Segurança atribui chacina do Uruguai à política armamentista - Metro 1