Sábado, 21 de maio de 2022

Cidade

Em protesto, professores criticam falta de transparência em Dias d'Ávila nos recursos do Fundeb

Categoria reivindica rateio da verba e questiona manobras suspeitas da administração, sem prestação de contas

Em protesto, professores criticam falta de transparência em Dias d'Ávila nos recursos do Fundeb

Foto: Leitor Metro1

Por: Adele Robichez no dia 26 de janeiro de 2022 às 10:39

Professores da Rede Municipal de Ensino da cidade de Dias d'Ávila, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), estão realizando um protesto em frente à sede da Prefeitura, na manhã desta quarta-feira (26). Iniciada às 9h, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), a ação tem o intuito de cobrar ao prefeito Alberto Costa transparência em relação à utilização dos recursos do Fundo de Desenvolvimento e Manutenção da Educação Básica (Fundeb) no município.

"Transparência e o rateio da verba. O prefeito precisa divulgar as despesas que teve com o Fundeb, isso é até crime de responsabilidade. A transparência é um dos princípios da administração política”, explica um dos docentes presentes na manifestação, que preferiu se manter em anonimato, temendo possíveis represálias. 
De acordo com o professor, além da não prestação de contas, a categoria tem recebido com estranheza algumas ações incomuns da prefeitura. Ele conta que o salário de janeiro deste ano foi pago antecipadamente no fim do mês de dezembro do ano passado, sem qualquer explicação ou acordo prévio com o sindicato. Além disso, indica o recebimento de “valores aleatórios” depositados nas contas dos professores. A categoria suspeita que esteja sendo feita alguma manobra contábil e requer um esclarecimento.

“Eles depositam valores aleatórios. Tem gente que tem 30 anos de ensino recebendo menos do que quem tem cinco anos, não emitem contracheque, não sabemos nem ao que se referem estes pagamentos. As coisas acontecem de forma arbitrária. O salário de janeiro foi antecipado, pago no dia 30 de dezembro, e a gente não sabe o motivo. Isso foi feito com o orçamento de 2021, sendo que 2022 tem um orçamento da Fundeb diferente. Nos preocupa a possibilidade de uma ‘contabilidade criativa’”, conta o professor.

A prefeitura indicou, diante da presença dos professores em frente à sede, que fará uma reunião com três representantes da APLB e cinco docentes para discutir as questões levantadas. “A nossa expectativa é que, de fato, aconteça. Que a Secretaria da Educação nos receba e, esperamos a possibilidade do prefeito participar desta reunião”, afirmou o diretor do sindicato local, Lionardo Bispo.

Desde o final do ano passado, os professores do município de Dias D’Ávila têm requisitado o rateio dos recursos do Fundeb, 70% destinados aos profissionais da educação básica, mas ainda não obtiveram um retorno. Segundo eles, sem aula presencial durante a pandemia da Covid-19 desde março de 2020, a prefeitura teve menos despesas, enquanto os professores, mais gastos próprios. Os docentes ainda acrescentam que, pelo mesmo motivo, o repasse do dinheiro que não foi utilizado pela administração da cidade, com as escolas fechadas, seria justo, já que eles ficaram em casa, arcando com materiais e serviços para dar as aulas remotas. 

Em protesto, professores criticam falta de transparência em Dias d'Ávila nos recursos do Fundeb - Metro 1