Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Segunda-feira, 24 de junho de 2024

Home

/

Notícias

/

Cidade

/

Saúde nega surto de virose em Salvador mas confirma aumento nos casos

Cidade

Saúde nega surto de virose em Salvador mas confirma aumento nos casos

Segundo especialista da SMS, alguns pacientes podem apresentar febre, dor de cabeça, estômago e dores em membros superiores e inferiores

Saúde nega surto de virose em Salvador mas confirma aumento nos casos

Foto: Sesab

Por: Metro1 no dia 17 de maio de 2024 às 14:22

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou o aumento no número de casos de virose em Salvador, nas últimas semanas, causada pelo Norovírus, que provoca quadros de gastroenterite como diarreia e vômitos, além de febre alta. 

De acordo com a pasta, o vírus é sazonal e costuma circular neste período do outono e inverno, entre os meses de abril e maio. Além disso, foi ressaltado não haver um surto, logo, não há necessidade de alarde. 

Por ser transmitida por via oral-fecal, por meio de água e alimentos contaminados, a doença pode ser inibida com medidas simples de prevenção como higienização das mãos e uso de máscaras, por exemplo.

“Trata-se de episódios periódicos que ocorrem mais comumente neste período do ano devido às baixas temperaturas que favorecem a disseminação de vírus e bactérias causadores de infecções. No caso do norovírus, os principais sintomas são náuseas repentinas, seguidas de vômitos e diarreia forte, que costumam aparecer entre 24 e 72 horas após a infecção”, explica a médica infectologista da SMS, Nizarala. 

Ainda segundo a especialista, alguns pacientes podem apresentar febre, dor de cabeça, estômago e dores em membros superiores e inferiores. Além disso, por ser de fácil disseminação, é possível que pessoas da mesma família apresentem os sintomas ao mesmo tempo, por isso, conhecer melhor a doença e seus meios de prevenção é fundamental para evitar a disseminação do vírus

As Unidades de Pronto Atendimento (UPA), apresentaram queda no número de atendimentos nos dois últimos meses. Em abril, foram 84.441 mil acolhimentos, 4% a menos do que em março, quando foram contabilizados 88.077 atendimentos.