Cidade

Nova rodada de negociação; Greve dos bancários completa 30 dias

Na Bahia, 976 agências estão fechada. Do total, 297 são em Salvador. Após ato realizado no final da tarde desta terça-feira (4), a categoria decidiu manter a paralisação e nesta quarta-feira (5), o movimento chega ao 30º dia. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Agência Brasil

Por Luiza Leão no dia 04 de Outubro de 2016 ⋅ 18:18

O Sindicato dos Bancários informou em nota, nesta quarta-feira, que a Fenaban finalmente quebrou o silêncio, na noite desta terça-feira (04/10), exatamente às 23h, e enviou comunicado ao Comando Nacional dos Bancos convocando uma nova rodada de negociação para esta quarta-feira (05/10), a partir das 17h.

Os bancos públicos também negociam. O BB logo depois da mesa com a Federação Nacional dos Bancos e a Caixa, às 19h. Bancários esperam que, desta vez, empresas apresentem propostas dignas, para por fim à greve que completa 30 dias nesta quarta-feira (05/10).

Além do reajuste de 14,62%, categoria quer contratações, segurança, atenção à saúde e melhores condições de trabalho. Até agora a Fenaban ofereceu abono de R$ 3,5 mil e 7% de reajuste. O índice impõe perdas aos trabalhadores.

Há 29 dias os bancários de todo o Brasil estão com as atividades paralisadas, sem previsão de retomada. A greve deste ano está prestes a superar a maior suspensão das atividades, quando em 2004, os bancários fizeram greve de 30 dias. Na Bahia, 976 agências estão fechada. Do total, 297 são em Salvador. Após ato realizado no final da tarde desta terça-feira (4), a categoria decidiu manter a paralisação e nesta quarta-feira (5), o movimento chega ao 30º dia.  

De acordo com o Sindicato dos Bancários, os bancos públicos estão sem atendimentos em 563 unidades: 299 são do Banco do Brasil, 203 da Caixa Econômica Federal e 61 do BNB. Nos bancos privados, o número de agências fechadas chega a 413; Bradesco com 244, Itaú (97), Santander (45), HSBC (19) e os demais bancos somam oito.

Segundo a assessoria de comunicação do sindicato, a Federação Brasileira de Bancos (Fenaban) não se manifestou sobre a negociação salarial, ainda que o comando nacional esteja de plantão na cidade de São Paulo. A greve foi iniciada no dia 6 de setembro.

Notícias relacionadas