Cidade

Renato Fechine apresenta o espetáculo 'Só Acontece Comigo' nesta sexta; veja

A agenda cultural desta sexta-feira está com a programação cheia. Tem espetáculo teatral, musical, cinema e muito mais. [Leia mais...]

[Renato Fechine apresenta o espetáculo 'Só Acontece Comigo' nesta sexta; veja]
Foto : Reprodução /Facebook

Por Laura Lorenzo no dia 09 de Março de 2017 ⋅ 19:00

A agenda cultural desta sexta-feira está com a programação cheia. Tem espetáculo teatral, musical, cinema e muito mais.

Veja:

Só Acontece Comigo

Quem nunca pensou ou verbalizou esta frase para expressar algum acontecimento inusitado que vivenciou? Renato Fechine, como grande ator e humorista, em seu espetáculo busca o lado cômico destas situações, com as quais muitos se identificarão! Cômicas ou trágicas, na peça tudo se transformará em risadas no final. O texto de Fechine, em parceria com Felipe Rodrigues, traz na sua composição: músicas e a criação de alguns dos seus personagens como Embaixador da Paz, Sirley e Paulinho.

  • Sextas
  • 20h
  • Teatro Módulo
  • R$ 40 e R$ 20


Wanderley Cardoso homenageia seu amigo Jerry Adriani e comemora 50 anos de carreira

O eterno ídolo da Jovem Guarda, Wanderley Cardoso, aceitou o convite do Café- Teatro Rubi, Sheraton da Bahia para homenagear seu amigo e parceiro Jerry Adriani. Neste espetáculo, Wanderley está também de volta às origens. Como parte das comemorações de 50 anos de carreira, o eterno “bom rapaz” apresenta, além dos grandes sucessos da época da Jovem Guarda, canções do álbum de gravações inéditas, em que revisita sucessos da música italiana. Entre as canções, destacam-se as imortais O Sole Mio, Roberta e Volare. 

  • 10/3 a 12/3
  • 20h30
  • Café-Teatro Rubi (Sheraton da Bahia Hotel)
  • R$ 120

 

Casa Castro Alves estreia espetáculo em homenagem às mulheres

O espetáculo Loucas do Riacho  une reflexões sobre a representação da loucura, a performatividade de gênero e a simbologia da água. A ideia contribui ainda para reflexão sobre performance de gênero, no calendário de atos políticos e artísticos pelo Dia Internacional da Mulher. No espetáculo, seis atrizes-dançarinas e um ator-dançarino dramatizam os fluxos de um rio e o público se vê convidado a mergulhar nessas águas, onde as dimensões de arte e ritual se aproximam. A direção e concepção é de Raiça Bomfim, com realização da Gameleira Artes Integradas. Segundo Raiça Bomfim o espetáculo é desdobramento de outro, intitulado Ofélia – Sete Saltos para se Afogar.

  • 9/3, 10/3, 11/3, 17/3, 18/3, 24/3 e 25/3
  • 17h
  • Casa Castro Alves (Pelourinho)
  • R$ 10 e R$ 5

 

4º Festival Internacional Lume de Cinema

Com o intuito de formas novas plateias e democratizar o cinema autoral nacional e internacional, o 4º Festival Internacional Lume de Cinema chega a Salvador com 7 longas-metragens e 11 curtas-metragens, de 15 países diferentes, na Mostra Competitiva, escolhidos através da cuidadosa curadoria de Frederico Machado, diretor da Lume Filmes. O Festival é realizado no Brasil para longas e curtas metragens do mundo todo, com foco no cinema autoral e independente. Nesta quarta, uma novidade: o evento acontecerá em mais de dez cidades brasileiras.

  • 9/3 a 15/3
  • 14h, 16h e 19h
  • Sala Walter da Silveira
  • Grátis

 

Grupo de palhaças realiza exposição sobre vivência realizada em aldeias indígenas

O grupo baiano Nariz de Cogumelo – grupo de palhaçaria e arte de rua – revela e compartilha parte dessa experiência na exposição Nas Aldeias Com Os Cogumelos. A mostra expositiva do Nariz de Cogumelo integra o projeto Nossas Aldeias, contemplado no Prêmio Funarte Carequinha de Estímulo ao Circo 2015, que propôs a circulação do grupo por três aldeias indígenas do Nordeste brasileiro: Kariri-Xocó (AL),Pankararu e Fulni-ô (PE). Durante o processo, o Nariz esteve acompanhado pelos profissionais Rafael Martins(fotografias) e Victor Marinho (fotografias e vídeos) que fizeram um detalhado registro com imagens das 10 apresentações e 04 oficinas, dos bastidores destas atividades e do intenso convívio do grupo que esteve por uma semana em cada uma das aldeias.

  • Abertura: 4/3, 16h às 20h; Visitação: até 31/3, seg a sex
  • 14h às 20h
  • Tropos Co. (Rio Vermelho)
  • Grátis

 

CEPAIA exibe filme e homenageia atriz Neuza Borges

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o Centro de Estudos dos Povos Afro-Índio – Americanos (CEPAIA) da UNEB exibe o filme A Deusa Negra, com homenagem à atriz Neuza Borges e a presença da atriz Tânia Toko para um bate papo.

  • 10/3
  • 14h30
  • CEPAIA (Pelourinho)
  • Grátis

 

Lançamento do Vinil Selza Mundo

No dia 10 de março (sexta-feira), na Praça Tereza Batista, a Vivendo do Ócio faz o lançamento do seu terceiro álbum, Selva Mundo, em formato vinil (180g), lançado de forma 100% independente. Com produção de Curumin e Fernando Sanches, Selva Mundo reúne em 12 faixas toda a experiência e influências musicais conquistadas ao longo dos dez anos de carreira. 

  • 10 de março
  • 20h
  • Praça Tereza Batista
  • R$ 10,00 (Promocional Antecipado - Meia) e R$ 15,00 (Segundo Lote - Meia) e R$ 20,00 (Promocional Antecipado - Inteira) e R$ 30,00 (Segundo Lote - Inteira) e R$ 70,00 (Ingresso Meia + Vinil Selva Mundo) e R$ 80,00 (Ingresso Inteira + Vinil Selva Mundo) 


Alexandre Leão

Começou sua carreira com o pé direito aos 17 anos. Gravado por, nada menos, que Maria Bethânia. A música se chama PAIOL DO OURO (Alexandre Leão e Olival Matos) e introduziu o cantor, compositor e músico na vida profissional. Na sequência, várias de suas canções também foram interpretadas por outros artistas e POP ZEN (Alexandre Leão, Manuca Almeida e Lalado), em especial, se tornou conhecida na voz de Ivete Sangalo, da Banda Lampirônicos, da Família Caymmi e mais recentemente por Arnaldo Antunes em seu novo cd. No Cinema, Leão colaborou também com trilhas de filmes como “Se eu fosse você” (Daniel Filho) e “Falsa Loira” (Carlos Rocheibach). 

  • 10/3
  • 22h
  • Varanda do Sesi - Rio Vermelho
  • R$ 30,00 (Couvert) 


Odisseoa Baiana

O artista é uma das grandes apostas da nova geração musical soteropolitana que, com uma voz singular e versatilidade no violão, traça novos rumos e sonoridades à Música Popular Brasileira contemporânea. Sua bagagem musical traz uma variedade imensa de influências e linguagens que imprime muita criatividade em sua produção. O estilo musical de Filipe reúne diversos elementos contemporâneos, dialogando com texturas inspiradas na música erudita, jazz, rock e música afro-baiana, além dos arranjos musicais de Paulo Mutti.

  • 10/3
  • 22h
  • Ciranda Café, Cultura & Arte
  • R$ 10,00 (Área Externa) e R$ 15,00 (Área Interna) 

Notícias relacionadas