Cidade

'População reage ao impeachment dizendo 'volta, Lula'', diz deputado

O Deputado Afonso Florence esteve na coletiva de imprensa de divulgação dos detalhes da Campus Party Bahia, nesta segunda-feira (3), e falou ao Metro1 sobre a a insatisfação do governo Temer e a \'perseguição política\' contra o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva. [Leia mais...]

['População reage ao impeachment dizendo 'volta, Lula'', diz deputado]
Foto : Tácio Moreira /Metropress

Por Laura Lorenzo no dia 03 de Abril de 2017 ⋅ 16:41

O Deputado Afonso Florence esteve na coletiva de imprensa de divulgação dos detalhes da Campus Party Bahia, nesta segunda-feira (3), e falou ao Metro1 sobre a a insatisfação do governo Temer e a \'perseguição política\' contra o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva.

\'É uma constatação de que há uma perseguição política contra ele [Lula] de Curitiba, do juiz [Sérgio] Moro e do procurador Rodrigo Janot. Eles dizem que tem convicção e reconhecem que não há provas. E TVs abertas estão bombardeando o presidente. Por outro lado há o sucesso do governo do presidente Lula. É óbvio que as medidas desmascararam tudo isso. E também o fato que não encontraram provas contra Lula, contra o PT. Eu acho que esse momento que faz com que a população reaja ao impeachment e a quem promoveu, dizendo volta Lula.

Questionado sobre seu voto nas eleições de 2018, Florence foi categórico. \'O meu é óbvio que é [de Lula]. Eu acho que é do povo brasileiro.É a alternativa de poder para a sociedade. Eu que era líder do PT no momento do impeachment sei o que era antes e depois. Antes era \'tem que tirar a Dilma\'. Agora ouço que foi um erro tirar Dilma. Esses caras são golpistas. Mesmo quem era a favor do impeachment agora diz que Lula tem que voltar. Que Temer foi um erro. Acho que está virando um clamor até de segmentos que não são originalmente do PT, de Lula ser candidato e ser presidente\', afirmou.

Notícias relacionadas

[Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS ]
Cidade

Homem diz ter cometido 13 estupros em Salvador e RMS

Por Juliana Almirante no dia 12 de Outubro de 2019 ⋅ 09:00 em Cidade

Segundo a polícia, ele oferecia as oportunidades de emprego, se passava pelo motorista de um suposto contratante, e dopava as mulheres, antes de cometer os crimes