Cidade

Baratas, ratos... Supermercados abusam sem ar condicionado ou higiene adequada

Quando você pensa em comida, as principais coisas que vêm em mente são limpeza e organização, certo? Acontece que, se você realiza suas compras em alguns supermercados de Salvador, é melhor redefinir suas prioridades. Nas últimas semanas, o Jornal da Metrópole recebeu dezenas de reclamações sobre falta de higiene e de refrigeração adequada nos maiores centros de compras da cidade [Leia mais...]

[Baratas, ratos... Supermercados abusam sem ar condicionado ou higiene adequada]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Bárbara Silveira no dia 13 de Abril de 2017 ⋅ 14:08

Quando você pensa em comida, as principais coisas que vêm em mente são limpeza e organização, certo? Acontece que, se você realiza suas compras em alguns supermercados de Salvador, é melhor redefinir suas prioridades. Nas últimas semanas, o Jornal da Metrópole recebeu dezenas de reclamações sobre falta de higiene e de refrigeração adequada nos maiores centros de compras da cidade.
Na última quarta-feira (12), percorremos alguns dos lugares apontados e a conclusão não foi nada boa: em Salvador, para comprar, é preciso tolerar até a presença de animais nojentos e indesejados.

Ar-condicionado é coisa do passado
Foi-se o tempo em que ir ao supermercado ajudava a amenizar o calorão de Salvador. Hoje, ar-condicionado é coisa rara nas principais redes. A Metrópole esteve no Bompreço do Politeama, no Atakarejo de Caminho de Areia e no Extra da Av. Luiz Viana Filho e só na primeiro deles havia refrigeração funcionando de modo minimamente adequado.

Lista vira abanador no Extra Paralela
Por volta das 11h30 da última quarta, o Extra da Av. Luiz Viana Filho parecia uma verdadeira sauna. A dona de casa Andreia Farias usava a lista de compras para tentar espantar o calor. “Tá muito quente aqui. Hoje tá só calor, mas tem dias em que a peixaria fede muito”, afirmou. A temperatura alta também foi motivo de reclamação do perito Osmar Souza, que aguardava na fila para pagar as compras e contava apenas com a ajuda de um ventilador. “Tá demais. Tem um comunicado ali dizendo que o ar deve estar pronto brevemente. Mas eu vim aqui há uns 20 dias e já estava lá [o comunicado]”, afirmou.

Atakarejo: ratos e baratas por todo lado
No Atakarejo do Caminho de Areia, os problemas são tantos que o calor passa quase despercebido. Em meio às prateleiras, muita sujeira e restos de alimentos espalhados. Não é à toa que a dona de casa Marise Bispo já teve uma surpresa nada agradável. “Deveria ser bem melhor com a organização. Já flagrei uns ratinhos correndo em uma das seções”, lembrou.
Segundo a bancária Rebeca Barreto, na loja de Piatã, a sujeira é constante e os caixas usam um ventilador para amenizar o calor. “É muito quente. E olhe que eu fui à noite. É frequente também ver baratas nas prateleiras. É como se não existisse fiscalização”, disse.

Respostas vazias e nenhuma solução
O Atakarejo afirmou que a central de ar da loja de Piatã estava em manutenção até o dia 5, mas que a refrigeração já foi restabelecida. A loja não se posicionou sobre a falta de higiene e a denúncia do Caminho de Areia. Já o Bompreço afirmou que o sistema de ar da loja do Canela está sendo avaliado. “Em relação à loja do Politeama, os exaustores do ar-condicionado passaram por um trabalho de isolamento nos últimos dias”, declarou.

Notícias relacionadas