Cidade

Revoltados com o Instituto Hygia, médicos paralisam atividades em maternidade

Os médicos da Maternidade Professor José Maria de Magalhães Netto paralisaram as atividades nesta segunda-feira (17) para reivindicar os salários que estão atrasados. O Instituto Hygia é o responsável pela administração da unidade. [Leia mais...]

[Revoltados com o Instituto Hygia, médicos paralisam atividades em maternidade]
Foto : Divulgação/ Sindmed

Por Luiza Leão no dia 17 de Abril de 2017 ⋅ 16:37

Os médicos da Maternidade Professor José Maria de Magalhães Netto, em Salvador, paralisaram as atividades nesta segunda-feira (17) para reivindicar os salários que estão atrasados. O Instituto Hygia é o responsável pela administração da unidade.

Além dos salários atrasados, os profissionais de saúde pedem a regularização do vínculo de trabalho. A suspensão das atividades por 24 horas foi decidida em assembleia no último dia 10.

Em nota, o Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindmed) afirmou que a situação é uma advertência e tem como objetivo chamar a atenção da sociedade e pressionar os gestores. O Sindmed disse ainda que a Hygia foi 'evasiva' ao falar sobre a situação e que a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) ignorou os pedidos dos médicos.

Durante a paralisação das atividades, apenas casos considerados como mais graves serão atendidos. Os pacientes que se enquadrarem nesse critério serão classificados com as cores laranja e vermelha.

Notícias relacionadas