Cidade

Estudante acusa faculdade de perder documento e impedí-lo de colar grau

O sonho da graduação para o estudante de educação física Felipe Picanço ficou mais distante depois que Faculdade Regional da Bahia, a Unirb, instituição onde estuda, perdeu o histórico escolar, o que impossibilita o jovem de colar grau e ter em mãos o diploma de professor.[Leia mais...]

[Estudante acusa faculdade de perder documento e impedí-lo de colar grau]
Foto : Reprodução/ Instagram

Por Luiza Leão no dia 23 de Outubro de 2017 ⋅ 19:11

O sonho da graduação para o estudante de educação física Felipe Picanço ficou mais distante depois que Faculdade Regional da Bahia, a Unirb, instituição onde estuda, perdeu o histórico escolar, o que impossibilita o jovem de colar grau e ter em mãos o diploma de professor. O transtorno da desorganização da Unirb ameaça ainda o emprego dele, já que a escola onde Felipe trabalha exige o diploma para contratá-lo.

Ingresso em 2013.1 após transferir o curso da Unime para a Unirb, localizada em Patamares, em Salvador, o jovem colaria o grau no semestre 2017.1. No entanto, por causa da mudança de instituição, que ocorreu do primeiro para o segundo semestre, quatro de cinco matérias foram reaproveitadas. A disciplina não aceita precisou ser revisada porque estava com a carga horária diferente e, na alteração, foi necessário que o histórico escolar fosse entregue -- e não mais devolvido. "Eles não sabem onde está o histórico. Não estão dando conta", disse, em entrevista ao Metro1 nesta segunda-feira (22).

"A minha turma, a grande maioria colou grau. Eu estou sendo pressionado pela escola onde eu trabalho porque se eu não tiver nem o certificado de conclusão, nem um atestado de conclusão, que eles estão se negando a me dar, eu vou perder meu emprego. A qualquer momento eu posso ficar desempregado", acrescentou.

Felipe afirma que insistiu pelo documento e já chegou a ouvir até deboche por funcionários da Unirb. "Eu ouvi do responsável do setor foi que se eu quisesse colar grau era para eu perguntar a Deus porque se ele não soubesse, muito menos ele [o funcionário] poderia me ajudar. Eu estou me sentindo amedrontado", concluiu. Segundo o estudante de educação física, o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) está na Unirb e nem acesso ao produto produzido por ele está sendo possível.

Resposta da Unirb

Em nota encaminhada ao Metro1 na noite desta terça-feira (24), Unirb negou as acusações do estudante, classificando-as como "condutas desonestas". A instituição também afirmou uma disciplina não foi aproveitada porque o "estudante irresponsavelmente apresentou o programa de disciplinas da Universidade Federal da Bahia, onde nunca estudou, e que em nada se aproxima com o programa de disciplinas da instituição de ensino superior (IES) de origem, a Unime. Desta forma, a Unirb fica impedida de apresentar a referida licença por não constituir o documento hábil para aproveitamento", afirmou, por meio do comunicado.

Segundo a Unime, o estudante deverá retirar os documentos em cópia original, subscrita pela secretaria acadêmica e depois o protocolar na IES de destino. Em seguida, o material será apreciado, podendo ser deferido ou indeferido, de acordo com a previsão legal.

Notícias relacionadas