Cidade

Jardim de Alah: Conder admite atraso e responsabiliza Caixa; R$ 2 mi já foram gastos

Iniciada em abril de 2016, a obra de requalificação no Jardim de Alah completou um ano de atraso no último mês. [Leia mais...]

[Jardim de Alah: Conder admite atraso e responsabiliza Caixa; R$ 2 mi já foram gastos]
Foto : Luiza Leão/ Metropress

Por Luiza Leão no dia 19 de Abril de 2018 ⋅ 06:00

Iniciada em abril de 2016, a obra de requalificação no Jardim de Alah completou um ano de atraso no último mês.

Apesar de admitir a demora para a conclusão, a Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia culpa a Caixa Econômica Federal pela delonga na aprovação de alterações feitas pela Fundação Mário Leal Ferreira, pasta responsável pelo projeto original e mudanças nas novidades previstas para a área.

Em nota enviada ao Metro1, a Conderafirmou que R$ 1,979 milhões dos R$ 4,538 destinados à intervenção já foram gastos. No entanto, o local efetivamente requalificado só deverá ser entregue no fim do primeiro semestre deste ano.

"Todas as modificações e ajustes de projeto precisam ser submetidos à Caixa Econômica Federal, agente financiador, que procede uma reprogramação, ajustando a obra ao novo projeto. Com isso, foi necessário passar pelo trâmite da Caixa e as obras sofreram atraso, aguardando a aprovação para posterior pagamentos dos serviços executados", justificou a Conder.

Enquanto isso, só resta aos ciclistas, corredores e banhistas que utilizam a região da capital baiana exercitar a compreensão.

Projeto – Quando for entregue, de acordo com a companhia, o Jardim de Alah terá equipamentos de ginástica, parque infantil, novos bancos, ciclovia e calçadão requalificados, ampliação do sistema viário em mais uma via de tráfego, que vai passar de duas faixas para três em cada sentido, entre a Pituba e Itapuã.

Notícias relacionadas