Cidade

Presença de Daniela no réveillon de Salvador é uma questão 'democrática', diz titular da Secult

Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, Cláudio Tinoco falou sobre a grade do Festival Virada Salvador e ressaltou a importância da artista para a festa

[Presença de Daniela no réveillon de Salvador é uma questão 'democrática', diz titular da Secult]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Juliana Rodrigues no dia 12 de Dezembro de 2018 ⋅ 10:37

O secretário de Cultura e Turismo da capital baiana, Cláudio Tinoco falou, hoje (12), em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, sobre o Festival Virada Salvador, que acontece entre os dias 28 de dezembro e 1º de janeiro de 2019, na Arena Daniela Mercury, localizada na Boca do Rio.

Segundo ele, uma das preocupações para a elaboração da grade do evento, que terá 70 horas de música distribuídas em 28 shows, foi garantir a variedade de estilos. A programação inclui shows de Milton Nascimento, La Fúria, Wesley Safadão e Anitta, além do tradicional Pôr do Som com a cantora Daniela Mercury. Após o segundo turno, apoiadores do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) chegaram a propor que o prefeito ACM Neto excluísse Daniela da programação. Durante a eleição, a artista se posicionou contra Bolsonaro.

"O prefeito ACM Neto toma essa decisão de manter Daniela não só por esse aspecto democrático, mas sobretudo por reconhecimento. Há quase duas décadas, Daniela aproveitou o dia 1º de janeiro, com a cidade cheia de turistas, com os baianos aqui também presentes, e implantou o Pôr do Som no Farol da Barra, no dia seguinte ao réveillon. Esse reconhecimento a leva a batizar a arena, e tudo isso junto é suficiente para sabermos que ela fará uma grande apresentação, com muitos convidados", afirmou Tinoco.

O secretário também falou sobre o projeto de concessão de incentivos à rede hoteleira por parte da prefeitura. "Vamos trabalhar nas próximas semanas com toda a simulação, toda a análise de impacto, mas com certeza a gente abre o ano de 2019 com o prefeito ACM Neto encaminhando à Câmara Municipal o projeto de lei. (...) Esses incentivos devem, entre outras coisas, tratar de despesas fixas tributárias, sobretudo na área do IPTU, mas é claro que a gente está buscando contrapartidas junto à rede hoteleira da cidade", declarou. De acordo com Tinoco, dentre as possíveis contrapartidas, estão a qualificação dos funcionários e a execução de reformas nas estruturas de hotéis mais antigos.

Notícias relacionadas

[Ufba fica sem luz após roubo de cabos]
Cidade

Ufba fica sem luz após roubo de cabos

Por Kamille Martinho no dia 18 de Outubro de 2019 ⋅ 14:20 em Cidade

Assessoria da universidade afirma que novo material já está sendo providenciado