Cidade

Após corte de verbas, estudantes e professores fazem ato em defesa da Ufba

Bloqueio de 30% de recursos foi anunciado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL)

[Após corte de verbas, estudantes e professores fazem ato em defesa da Ufba]
Foto : Amilton Júnior

Por Juliana Almirante no dia 06 de Maio de 2019 ⋅ 10:00

Estudantes e professores fazem um ato na Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia (Ufba) em defesa da instituição, depois do corte de 30% de recursos, anunciado pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL)

A presidente da Associação dos Professores Universitários da Bahia (Apub), Raquel Nery, disse que o evento será um ato político para debater o bloqueio de verbas. Inicialmente, foi anunciado o contingenciamento na Ufba e em duas universidades por suposta "balbúrdia" e depois, foi ampliado para todas as unidades federais, com a justificativa de foco no ensino básico. 

"Debateremos os acontecimentos da última semana: a tentativa de usar um corte orçamentário (que no fim reveleou-se isonômico para toda a rede de Educação Federal) para macular a imagem da UFBA e fazer perseguição política e controle ideológico", afirmou Raquel Nery ao Metro1.

Segundo ela, serão estudadas as possíveis medidas políticas e judiciais que respondam à gravidade do corte de verbas, que ameaça o funcionamento da instituição.

Ainda conforme a presidente da Apub, ainda não há paralisação de professores prevista, como uma resposta ao corte de verbas.

Outras duas suspensões nas atividades já estavam programadas: a primeira, no dia 15 de maio, é uma mobilização em todos os estados contra a reforma da Previdência, chamada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE); a segunda é uma greve geral dos trabalhadores, prevista para junho.

Notícias relacionadas