Cidade

Vigilantes da Ufba paralisam atividades; instituição busca diálogo

Por meio de nota, a universidade ainda negou que a comunidade acadêmica esteja sendo orientada a evitar atividades após as 18h

[Vigilantes da Ufba paralisam atividades; instituição busca diálogo]
Foto : Divulgação / UFBA

Por Juliana Rodrigues no dia 08 de Maio de 2019 ⋅ 11:26

Os trabalhadores terceirizados que fazem a segurança da Universidade Federal da Bahia (Ufba) suspenderam as atividades na manhã de hoje (8). Segundo os vigilantes, a instituição deve cerca de R$ 13 milhões ao Grupo MAP, empresa contratada para a prestação do serviço. A paralisação vem em meio à crise financeira causada pelo bloqueio de R$ 55 milhões no orçamento da Ufba.

Em nota enviada ao Metro1, a instituição de ensino federal afirma que estabeleceu diálogo com a direção da empresa, a fim de que a equipe retome as atividades normais. Segundo a assessoria da Ufba, o reitor João Carlos Salles está em Brasília e busca, junto ao Ministério da Educação, liberar recursos para o pagamento da empresa.

A instituição ainda nega que a prefeitura do Campus de Ondina supostamente teria orientado a comunidade acadêmica a evitar atividades após as 18h devido à diminuição do efetivo de segurança, como dito por alguns estudantes em listas de comunicação interna. "Não somente não confirmamos nenhum pedido neste sentido como sequer existe uma prefeitura do campus de Ondina", diz o comunicado.

Notícias relacionadas