METROPOLE

Sábado, 08 de maio de 2021

Cidade

Ventos fortes e oxidação derrubaram 'gordinha de Ondina', diz Fundação Gregório de Mattos

Estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mediu ventos de 40 km na região da Avenida Adhemar de Barros

Ventos fortes e oxidação derrubaram 'gordinha de Ondina', diz Fundação Gregório de Mattos

Foto: Tácio Moreira / Metropress

Por: Alexandre Galvão no dia 10 de maio de 2019 às 09:44

A queda da ‘gordinha de Ondina’, obra de Eliana Kertész, foi causada pela ação do vento e da oxidação da base da escultura, segundo a diretora de Patrimônio e Humanidades da Fundação Gregório de Mattos, Milena Tavares. “Fizemos uma inspeção e vimos que a fundação estava oxidada. Acredito que com o vento isso se agravou e acabou despencando”, contou, em entrevista ao Metro1. 

Estação do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) mediu ventos de 40 km na região da Avenida Adhemar de Barros, onde está o monumento, durante a madrugada. Agora, explica Tavares, a prefeitura deve retirar a escultura e fazer o reparo. “Estamos em diálogo com a secretaria de Obras para que ela possa intervir, remover a peça, colocar em uma cama de areia e fazer o serviço de escavação para reinserir a escultura”, apontou. 

Como prevenção, outra gordinha, nomeada de Catarina, será estudada também. A obra está em Ondina desde 2004. O conjunto escultórico é composto por três mulheres gordas nuas, em bronze, medindo 3 metros de altura, pesando aproximadamente uma tonelada cada escultura e representando três etnias distintas, segundo Eduardo Fróes, em trabalho publicado na Universidade Federal da Bahia.

 

TV METRO

Entrevistas

Roberto Coelho

Em 07 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
Ventos fortes e oxidação derrubaram 'gordinha de Ondina', diz Fundação Gregório de Mattos - Metro 1