Cidade

Requalificação da Lagoa dos Pássaros, no Stiep, já acumula seis meses de atraso 

A obra, iniciada em julho de 2018, deveria ter sido entregue em abril deste ano

[Requalificação da Lagoa dos Pássaros, no Stiep, já acumula seis meses de atraso ]
Foto : Jefferson Peixoto/Secom

Por Lara Curcino no dia 21 de Outubro de 2019 ⋅ 17:00

A requalificação da Lagoa dos Pássaros, situada no bairro do Stiep, em Salvador, tinha promessa de ficar pronta até abril deste ano. Até hoje (21), porém, as obras ainda não foram concluídas.

Em nota enviada ao Metro1, a Superintendência de Obras Públicas (Sucop), responsável pela revitalização, garantiu que a "obra propriamente dita" está pronta e deve receber autorização amanhã da Caixa Econômica Federal, o agente financiador, para que a limpeza da área seja realizada. De acordo com o comunicado, esta seria a "única pendência para conclusão definitiva do serviço". 

A ordem de serviço foi assinada pelo prefeito ACM Neto em julho de 2018 e teve um investimento de, aproximadamente, R$ 825 mil. Na recuperação, está prevista a instalação de pista de caminhada, pier, espaços para piquenique e para apresentações de capoeira, praça de esportes com parque infantil, além de aparelhos de musculação e ginástica. A estrutura teria ainda paraciclos e estacionamento com acesso pela Rua Arthur de Azevedo Machado. 

O morador do bairro Alessandro denuncia a situação atual da reforma, que já acumula seis meses de atraso. “Até hoje nada. Nenhum movimento ao redor da lagoa. Os equipamentos de ginástica já estão todos enferrujados e a grama está seca”, reclama ele.

A Lagoa dos Pássaros não é a única a sofrer com a negligência no bairro do Stiep, já que a Lagoa dos Frades apresenta situação de abandono ainda pior. Em 2017, durante entrevista à Rádio Metrópole, o então titular da Secretaria de Manutenção da Cidade (Seman), Marcílio Bastos, confirmou um projeto de revitalização do espaço, que passaria a abrigar o Parque dos Dinossauros. 

“O parque dos dinossauros será um ponto turístico para a cidade. O projeto está todo prontinho, nós estamos fazendo o contato com os fabricantes dos animais. Eu tenho um representante do Brasil que está entrando em contato conosco para ver quais animais virão”, disse ele. 

Até o momento, no entanto, não foi assinada qualquer ordem de serviço para início de obras no local. Atualmente, o matagal no entorno da lagoa já danificou as mesas e bancos instalados pela falta de aparo, não há iluminação no ambiente e o lugar se acostumou a viver deserto. 

Notícias relacionadas