Cidade

Mulher denuncia delegacia por não fazer Boletim de Ocorrência em Pau da Lima; PC investiga caso

Conforma acusação, o agente classificou a situação como "mimimi e vitimização", e se negou-se a registrar o fato

[Mulher denuncia delegacia por não fazer Boletim de Ocorrência em Pau da Lima; PC investiga caso]
Foto : Reprodução

Por Metro1 no dia 27 de Janeiro de 2020 ⋅ 20:26

Uma mulher denunciou um agente da 10ª Delegacia Territorial (DT), que fica no bairro de Pau da Lima, em Salvador, de se recusar a fazer o seu Boletim de Ocorrência (B.O.). Ela havia acusado uma pessoa de racismo. 

Acionado, o Coletivo de Advogados (as) e Negros (a) disse que ela “dirigiu-se à referida Delegacia, acompanhada por seu advogado, para registrar ocorrência referente ao crime de racismo e foi impedida pelo agente que classificou a situação como 'mimimi e vitimização’ e simplesmente negou-se a registrar o fato”.

“O Coletivo de Advogados (as) Negros (as) foi acionado e prontamente deslocou três advogados e interveio junto a Secretária de Segurança Pública, exigindo que o direito da vítima registar a ocorrência fosse respeitado, bem como acionou a Comissão de Prerrogativas da OAB, só após destas intervenções foi possível a vítima retornar à Delegacia e exercer o seu direito de registrar a ocorrência do crime de racismo, como manda a lei”, diz.

Em nota, a Polícia Civil informou ao Metro1 caso está sendo investigado pela própria unidade. “A vítima será ouvida na unidade e elementos que possam complementar a apuração serão colhidos”.

Ainda conforme a nota, a 10ª DT / Pau da Lima solicitará suporte ao Grupo Especializado de Repressão aos Crimes por Meios Eletrônicos (GME), para identificar a autoria. “A denúncia de possível falha no atendimento está sendo apurada pela unidade”, aponta a nota da Polícia Civil. 

Notícias relacionadas

[Homem armado é preso em ponto de ônibus da BR-324]
Cidade

Homem armado é preso em ponto de ônibus da BR-324

Por Juliana Rodrigues no dia 20 de Setembro de 2020 ⋅ 16:00 em Cidade

Segundo a SSP-BA, suspeito já tinha passagens por assaltos a coletivos e disse aos policiais que iria cometer outro crime do tipo