Cidade

Prefeitura prorroga suspensão de funcionamento de comércio, escolas e restaurantes até 1º de junho

Neto anunciou ainda novas medidas, como obrigatoriedade de 2m entre ambulantes, além da perda de licença para os que trabalharem sem máscara

[Prefeitura prorroga suspensão de funcionamento de comércio, escolas e restaurantes até 1º de junho]
Foto : Bruno Concha/Secom PMS

Por Lara Curcino no dia 18 de Maio de 2020 ⋅ 12:04

O prefeito ACM Neto anunciou a prorrogação dos decretos gerais para combate ao coronavírus em Salvador até o dia 1º de junho. As medidas teriam validade até hoje (18). Com isso, escolas, restaurantes e bares (exceto pelas opções de retirada e delivery), salões de estética, casas de festa, lojas com mais de 200 m², entre outros, seguem fechados até, ao menos, o início do próximo mês. Houve, no entanto, anúncio de uma novidade para shoppings e centro comerciais, que poderão funcionar em modelo drive-thru

Neto anunciou ainda novas medidas de prevenção, como obrigatoriedade de dois metros entre ambulantes, em qualquer local da cidade, além da punição de perda de licença por tempo indeterminado para aqueles que forem identificados sem máscara. A mesma distância será imposta em filas e realização de marcações do espaço necessário em enfileiramentos maiores, como de agências bancárias. 

Será obrigatório ainda o uso de máscara para quem for andar na Orla da capital baiana. De acordo com o prefeito, “se não houver respeito, toda a Orla será interditada, assim com o Dique do Tororó”. Já em estabelecimentos, mesmo aqueles que possuam menos de 200 m², devem ser colocados kits de álcool gel em locais visíveis, bem como kits de higienização nos banheiros e será preciso exigir que os clientes realizem a limpeza das mãos.  

Para os estabelecimentos acima de 200 m² cuja abertura está permitida, aqueles que prestam serviços considerados essenciais, será necessário respeitar o limite de capacidade de 9 m² por pessoa, além de entrada apenas de uma pessoa, a menos que sejam idosos ou alguém com diagnóstico de câncer ou com doenças imunossupressoras. O estacionamento deverá ser reduzido também em 50%. 

Notícias relacionadas