Cidade

Servidores apontam surto de Covid-19 na Secretaria de Meio Ambiente; pasta nega

Conforme a denúncia, três andares (1°, 4° e 5° andar) têm casos de coronavírus e tem cerca de dez infectados. A acusação diz ainda que tem coordenação inteira de quarentena por causa confirmação na equipe

[Servidores apontam surto de Covid-19 na Secretaria de Meio Ambiente; pasta nega]
Foto : Cid Vaz / TV Bahia

Por João Brandão no dia 08 de Junho de 2020 ⋅ 17:25

Alguns servidores da Secretaria estadual de Meio Ambiente (Sema) apontaram que há um surto de Covid-19 no prédio da pasta, situado no Centro Administrativo da Bahia. No entanto, a Sema negou ao Metro1.

Conforme a denúncia, três andares (1°, 4° e 5° andar) têm casos de coronavírus e tem cerca de dez infectados. A acusação diz ainda que tem coordenação inteira de quarentena por causa de confirmação na equipe.

Ao Metro1, a Sema disse que não há surto de Covid-19 nos órgãos e ressaltam que tem seguido rigorosamente as orientações, afastando de imediato as pessoas que fazem parte dos grupos de risco e como medida preventiva, a liberação de todos os seus estagiários.

“Acatando, ainda, as recomendações dos órgãos de Saúde, a fim de mitigar a possibilidade de contágio na ambiência destas autarquias, tem sido orientado a todos os servidores com sintomas compatíveis com a Covid-19 ou ainda que tenham contato direto com pessoa infectada, dentro ou fora do ambiente de trabalho, a permanecerem em isolamento, comunicando imediatamente a sua Chefia e a área de Recursos Humanos que sistematiza as informações e promove o acompanhamento do servidor até seu retorno, conforme preconiza as Autoridades Sanitárias”, diz, em nota.

Ainda conforme a pasta, as seguintes medidas foram adotadas: a instalação de pias com sabonete líquido nas entradas e saídas do prédio; repositórios, sistemáticos, de álcool gel em diversos pontos dos andares; distribuição de máscaras e luvas; reforço da higienização e da limpeza de todos os espaços de trabalho; limitação do quantitativo de pessoas nos elevadores; limitação da capacidade de transporte dos veículos oficiais; restrição de atendimento presencial na Central de Atendimento e priorização de reuniões em plataformas digitais. 

“Esclarecemos ainda, que tem acompanhado de perto e vêm consolidando as informações dos servidores, que apresentam sintomas e contato direto com pessoas possivelmente infectadas. Todas as informações, referentes aos servidores, são encaminhadas a SUVISA - Superintendência de Vigilância e Proteção a Saúde, Sala de Situação COVID-19 e todas as ações deste órgão estão em conformidade técnica ao quanto recomendado por aquela unidade”, completa.

Em carta, a Associação Pré-Sindical dos Servidores do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Ascra) havia pedido medidas para evitar contaminação do coronavírus, mas informou que ao longo desse período, “a Aspra monitorou e recebeu relatos dos servidores associados sobre as condições de trabalho oferecidas pelo Inema”. 

“E temos observado que não há um monitoramento do atendimento das medidas de proteção e/ou comunicação aos servidores para o enfrentamento efetivo à pandemia, o que pode colocar em risco toda a campanha do governo do Estado e município de Salvador para o controle da disseminação do novo coronavírus”, diz.

Notícias relacionadas