Cidade

Colégio Isba anuncia fim das atividades após 56 anos

A Associação Brasileira de Educação Familiar e Social (Abefs), que administra a unidade, publicou nos perfis oficiais do colégio nas redes sociais.

[Colégio Isba anuncia fim das atividades após 56 anos]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 22 de Outubro de 2020 ⋅ 18:07

O Colégio do Instituto Social Da Bahia (Isba) anunciou hoje (22) o fim das atividades na Educação Básica em Salvador, "dentro do processo de redimensionamento estratégico da sua atuação no Brasil". A Associação Brasileira de Educação Familiar e Social (Abefs), que administra a unidade, publicou nos perfis oficiais do colégio nas redes sociais.

De acordo com a Abepfs, "imbuído em mitigar os danos desta decisão sobre a comunidade escolar, o estabelecimento já elaborou um Plano de Ações que, entre outras medidas, prevê a integralização da carga horária prevista para o ano letivo de 2020, com cumprimento do calendário escolar; a manutenção do atendimento às famílias e aos discentes pela ABEFS até dezembro de 2021, para emissão de documentos, negociação de débitos, entre outros serviços; garantia dos direitos trabalhistas; e cumprimento dos compromissos firmados com parceiros comerciais e acadêmicos, entre os quais fornecedores e prestadores de serviços.

"Ao longo de 56 anos de história, o ISBA consolidou-se como uma das melhores escolas da capital baiana, tornando-se referência de ensino de qualidade e vanguarda em educação. Ancorado em valores humanísticos e nos avanços da Ciência da Educação, o Colégio ocupa lugar de destaque no cenário regional pelo pioneirismo, por exemplo, na promoção da iniciação esportiva no ambiente escolar, na educação ambiental, na implantação do currículo integrado e, mais recentemente, na modelagem de educação bilíngue com vivência da língua inglesa dentro da rotina escolar", diz o comunicado.

Notícias relacionadas

[Cira do Acarajé morre aos 69 anos]
Cidade

Cira do Acarajé morre aos 69 anos

Por Juliana Rodrigues no dia 04 de Dezembro de 2020 ⋅ 08:33 em Cidade

Ela era uma das baianas mais conhecidas de Salvador e vendia os quitutes há mais de cinquenta anos