Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quarta-feira, 10 de abril de 2024

Cultura

Após críticas de Mário Kertész, Muncab publica nota de esclarecimento

O radialista Mário Kertész criticou a decisão da direção do Muncab de escalar como exposição reserva uma mostra realizada por Emanoel Araujo

Após críticas de Mário Kertész, Muncab publica nota de esclarecimento

Foto: Redes Sociais

Por: Metro1 no dia 26 de fevereiro de 2024 às 17:45

Atualizado: no dia 26 de fevereiro de 2024 às 18:07

O Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (Muncab) publicou uma nota de esclarecimento após o radialista Mário Kertész criticar a decisão da direção do Muncab de escalar como exposição reserva uma mostra realizada pelo museólogo, artista plástico e curador Emanoel Araujo. O comentário foi feito nesta segunda-feira (26) na Rádio Metropole.

Confira a nota na íntegra:

Hoje (26/02), o jornalista e ex-político Mário Kertész, da Metrópole, trouxe a seguinte fala no seu programa, a qual causou bastante estranheza ao corpo diretivo da instituição: “Um artista plástico [Emanoel] com enorme valor reconhecido aqui e no exterior, tem uma exposição feita por ele fantástica, e está como reserva. Não há hipótese disso ser uma coisa acertada.”

Expressa-se publicamente o respeito e admiração pelo trabalho e legado do artista, curador, museólogo e diretor de museus, Emanoel Araújo. Além de ser curador do acervo inicial do Museu Nacional da Cultura Afro-Brasileira (MUNCAB), Emanoel Araújo também possui duas obras presentes na coleção do Muncab. A relevância da coleção permanente do MUNCAB para o panorama das artes visuais afro-brasileiras é enorme e pode ser observada através de todas as ações visando a sua preservação, assim como através da participação de cerca de 30 obras na exposição “Um Defeito de Cor - Itinerância Salvador”.

Explica-se que as reservas técnicas de acervos museológicos são espaços de guarda dos objetos e coleções, visando sua preservação e conservação. São locais que contam com controle de temperatura e umidade, além de segurança e restrição de acesso, priorizando a conservação física das obras de arte em um museu. Tudo isso é feito para salvaguardar a longevidade do acervo e garantir o acesso às gerações futuras.

A seleção do acervo que irá compor cada exposição é feita a partir da curadoria de cada exposição, baseada no tema abordado. A crítica realizada pelo jornalista e ex-político Mário Kertész, da Metrópole, demonstra total desconhecimento do funcionamento das instituições museológicas e da importância das reservas técnicas na preservação dos acervos. O questionamento de uma gestão reconhecida tanto pelo público quanto por técnicos em museologia e pela crítica especializada evidencia uma desinformação da importância e da relevância do trabalho que vem sendo realizado. Solicita-se o direito de resposta e retração à Rádio Metrópole no mesmo programa, tempo e veículos utilizados.

Reitera-se a luta e compromisso para preservar o acervo do MUNCAB e os acervos ligados à cultura afro-brasileira!